Meteorologia

  • 26 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 14º MÁX 24º

Edição

Refugiados vão poder escolher médicos em função do género

A Direcção-Geral de Saúde elaborou um guia de aconselhamento a profissionais de saúde que possam vir a lidar com refugiados.

Refugiados vão poder escolher médicos em função do género

Os refugiados que forem acolhidos em Portugal terão direito a escolher serem atendidos por médicos de sexo diferente. A hipótese é apenas um dos cuidados explanados num guia de 112 páginas, de que o jornal i dá conta, elaborado pela Direcção-Geral de Saúde (DGS) para os profissionais de saúde.

O guia contempla a possibilidade de, por questões culturais e religiosas, mulheres refugiadas possam recusar serem atendidas por homens, mas também o inverso (homens evitarem o atendimento por parte de profissionais de saúde femininas). Mas este mesmo guia salienta vários cuidados a ter na hora de escolher, por exemplo, a dieta de um refugiado.

O guia sugere que a carne de porco e seus derivados devem ser evitados. Mas podem ser também excluídas outras carnes, devido ao facto de os animais não terem sido mortos de acordo com rituais que os refugiados possam respeitar.

Bebidas alcoólicas que possam fazer parte de "temperos, caldos, marinadas e sobremesas" também devem ser evitadas, havendo inclusive conselhos sobre os cuidados a ter na roupa usada, na hora de atender refugiados.

Embora este tipo de conselhos e restrições já tenham suscitado críticas, o mesmo guia elaborado pela DGS, com o envolvimento não só de profissionais de saúde mas também de especialistas em relações internacionais, realça que os refugiados "possuem especificidades que podem comprometer o acesso a uma alimentação adequada e a cuidados básicos de saúde, influenciando a morbilidade e a mortalidade nos grupos afetados".

Lido de outra forma, o guia acaba por defender a adaptação a costumes culturais alheios, a bem da saúde, conseguindo-se assim evitar que algum refugiado não aborde, perante o médico, um determinado problema de saúde, pelo simples facto de nunca ter sido atendido por um médico de sexo diferente.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório