Meteorologia

  • 26 JUNHO 2024
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 23º

Queixas sobre serviços públicos disparam 41%. IMT lidera top 10

Setor público recebeu mais de 13 mil queixas em 2022. Em 2019 tinha recebido 9.483.

Queixas sobre serviços públicos disparam 41%. IMT lidera top 10
Notícias ao Minuto

12:14 - 28/12/22 por Notícias ao Minuto

País Reclamações

O Portal da Queixa recebeu, em 2022, mais de 13.400 reclamações dirigidas aos serviços públicos, um aumento de 41% em relação a 2019, ano de pré-pandemia, em que se registou 9.483 reclamações revelou, esta quarta-feira, esta rede social de consumidores online.

De acordo com a análise feita pelo Portal da Queixa, no Top 10 dos organismos públicos com mais reclamações figuram o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) com 4.992 queixas (37% do total), a Segurança Social com 967 reclamações, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) com 912, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) com 905 e a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), com 783.

Seguem-se a Câmara Municipal de Lisboa com 441 reclamações, o Instituto dos Registos e do Notariado (IRN) com 396, o IEFP com 341, a Câmara Municipal de Almada com 271 e o Centro Nacional de Pensões com 267.

Principais motivos de reclamação

O estudo apurou ainda que, no IMT, o principal problema reportado refere-se à troca de carta estrangeira, a recolher mais de 61% das reclamações registadas (3.035).

Já na Segurança Social, cerca de 50% das queixas dos portugueses estão relacionadas com o mau atendimento e falta de resposta do organismo e 31% reporta problemas com o Abono de Família.

No SNS, o mau atendimento/falta de apoio ao utente continua a ser um dos problemas que gera mais queixas, 49% do total. Outro motivo que absorve 25% das reclamações, está relacionado com o apoio prestado devido à Covid-19. 

No SEF, a maioria das reclamações (63%) aponta como motivo os problemas com a renovação do título de residência. As dificuldades no atendimento telefónico para marcação de visita nas delegações do SEF somam 35% das queixas. 

Relativamente à AT, os problemas com o IBAN (por causa do apoio extraordinário do Estado), geraram 47% das queixas dirigidas às finanças e o atraso com o reembolso do IRS representa 32% das reclamações.  

Dirigidas à Câmara Municipal de Lisboa, destacaram-se duas queixas este ano: as multas de estacionamento (29%) e os problemas com a recolha de lixo (22%). 

No IRN, foram três os principais motivos de insatisfação reportados: problemas no levantamento do cartão de cidadão (27%), mau atendimento (24%) e dificuldades na renovação do passaporte (8%). Já no IEFP, a demora na aprovação de estágios profissionais foi o motivo que mais queixas gerou: 32%. 

Da Câmara Municipal de Almada, o que os munícipes mais reclamaram foi da recolha do lixo (22%).

Os problemas com o cálculo e atribuição das reformas estiveram na origem 56% das queixas dirigidas ao CNP.

Finanças têm a melhor performance de resolução

De acordo com os indicadores no Portal da Queixa, entre os vários organismos públicos, a Autoridade Tributária é a entidade que mais resolve os problemas que lhe são reportados, com 96,9% de Taxa de Solução, 99,6% de Taxa de Resposta e um Índice de Satisfação (IS) avaliado em 91 pontos (em 100).

Na resposta às reclamações evidencia-se também o IEFP com 100% de Taxa de Resposta, Taxa de Solução de 95,8% e um IS pontuado em 88.8. De referir ainda que o instituto foi distinguido, este ano, como 'Marca Recomendada 2022'.

Com altos indicadores de resolução destaca-se ainda o IMT, com uma Taxa de Resposta de 100%, Taxa de Solução de 77,8% e um Índice de Satisfação cifrado em 82.3 pontos, assim como as autarquias de Lisboa e Almada que, apesar de estarem no top 10 dos serviços públicos com mais reclamações, registaram uma taxa de resposta elevada aos problemas dos munícipes. A Câmara Municipal de Lisboa com 100% e a Câmara Municipal de Almada com 97,7%.

Leia Também: CGI considera "positivas" medidas tomadas para "robustecimento da RTP"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório