Meteorologia

  • 03 DEZEMBRO 2022
Tempo
MIN 8º MÁX 12º

"Portugal não reconhece nem reconhecerá anexações" pela Rússia

Gomes Cravinho acusou Vladimir Putin de “demonstrar absoluto desprezo pelo direito internacional”.

"Portugal não reconhece nem reconhecerá anexações" pela Rússia

O ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, garantiu, esta sexta-feira, que “Portugal não reconhece nem reconhecerá anexações” levadas a cabo pela Federação Russa e acusou o presidente Vladimir Putin, de “demonstrar absoluto desprezo pelo direito internacional”.

“Com o anúncio da anexação de partes do território ucraniano, Putin continua a demonstrar absoluto desprezo pelo direito internacional. Portugal não reconhece nem reconhecerá anexações de território ocupado ilegalmente pela Rússia e é totalmente solidário com a Ucrânia”, sublinhou na rede social Twitter.

Putin formalizou hoje a anexação das regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporíjia, após a realização de referendos entre os dias 23 e 27 de setembro.

Já num comunicado às redações, o Ministério dos Negócios Estrangeiros refere que "Portugal condena firmemente a anexação pela Rússia dos territórios ucranianos de Donetsk, Luhansk, Zaporizhzhia e Kherson, que constitui mais uma violação grosseira do Direito Internacional e dos princípios consagrados na Carta das Nações Unidas".

Para o Governo, trata-se de uma "anexação ilegal e nula", à qual "nunca reconhecerá quaisquer efeitos políticos ou jurídicos".

"Portugal mantém o seu resoluto apoio à Ucrânia, à sua soberania e integridade territorial dentro das fronteiras internacionalmente reconhecidas, bem como ao seu direito de legítima defesa em face da agressão em curso", destaca a nota.

O conflito entre a Ucrânia e a Rússia começou com o objetivo, segundo Vladimir Putin, de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia. A operação foi condenada pela generalidade da comunidade internacional.

A ONU confirmou que cerca de seis mil civis morreram e nove mil ficaram feridos na guerra, sublinhando que os números reais serão muito superiores e só poderão ser conhecidos quando houver acesso a zonas cercadas ou sob intensos combates.

[Notícia atualizada às 20h08]

Leia Também: Pedidos de vistos por russos disparam nas embaixadas alemãs

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório