Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2022
Tempo
16º
MIN 8º MÁX 17º

Tarde ficou marcada por "reacendimentos extremamente fortes" na Covilhã

"Tivemos um início de tarde com condições muito adversas", revelou a fonte da Proteção Civil.

Tarde ficou marcada por "reacendimentos extremamente fortes" na Covilhã

O Comandante Operacional do Centro da Proteção Civil, António Ribeiro, destacou esta terça-feira, em conferência de imprensa, que esta tarde ficou marcada, na Covilhã, por "reacendimentos extremamente fortes" no contexto do incêndio que lavra desde sábado no concelho.

Segundo a fonte da Proteção Civil, tal deveu-se às condições meteorológicas "bastante adversas" que se fizeram sentir da parte da tarde, "com ventos fortes e erráticos" que dificultaram o combate. 

Apesar de todo o "trabalho desenvolvido" no terreno na segunda-feira apontar para uma provável resolução do incêndio durante o dia de hoje, as "rajadas superiores a 30 km/hora" e os "declives acentuados" que caracterizam a paisagem da Serra da Estrela trouxeram grandes dificuldades às equipas.

"Estamos com grande dificuldade com as evoluções [deste fogo]. Um dos setores abriu muito em direção à povoação de Verdelhos,  a qual foi defendida", esclareceu o Comandante.

Neste momento há ainda a registar uma "frente de fogo muito violenta no concelho de Manteigas, a dirigir-se para a povoação de Sameiro e com outros encaminhamentos que poderão também seguir", disse ainda a mesma fonte.

Apesar de, segundo António Ribeiro, não terem sido registadas quaisquer vítimas mortais ou feridos graves na sequência deste incêndio, há, no entanto, a lamentar quatro feridos ligeiros durante o dia de hoje - "três bombeiros e um sapador florestal", explicou.

Segundo o comandante da Proteção Civil, "não houve qualquer habitação afetada" pelo fogo.

Neste momento, de acordo com a mesma fonte, estão no terreno 713 operacionais, apoiados por 215 viaturas. "Vamos ter um reforço, durante as próximas horas, de mais dez grupos de combate", garantiu ainda António Ribeiro. O comandante espera, ainda assim, uma "noite de trabalho muito laboriosa". 

O incêndio na Covilhã deflagrou, no sábado, por volta das 3h da manhã na localidade de Garrocho. Desde então, o fogo não tem dado tréguas aos bombeiros.

Leia Também: Incêndios. Seguradoras estimam pagar indemnizações de oito milhões

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório