Meteorologia

  • 06 JULHO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 31º

Detido 'hacker' que invadiu debate sobre racismo no Liceu Camões

O detido, um jovem de 17 anos, está “indiciado pela prática de crimes de discriminação e de incitamento ao ódio e à violência”.

Detido 'hacker' que invadiu debate sobre racismo no Liceu Camões

A Polícia Judiciária (PJ), através da Unidade Nacional Contraterrorismo (UNCT), deteve, na terça-feira, um jovem de 17 anos, suspeito de ser autor de uma invasão durante um debate virtual organizado pela Associação de Estudantes da Escola Secundária de Camões, em Lisboa, no dia 18 de fevereiro de 2021, denominado ‘A Influência da escravatura e o racismo institucional’.

O detido está “indiciado pela prática de crimes de discriminação e de incitamento ao ódio e à violência”, revela a PJ num comunicado enviado às redações.

Segundo a autoridade, “o arguido partilhou o link da reunião em diversos canais e redes sociais, com o objetivo de, em articulação com outros utilizadores, perturbarem o referido debate, que se estava a realizar através da plataforma Zoom com participantes maioritariamente de raça negra”.

A reunião foi invadida por “diversos indivíduos” que “publicaram fotos e gifs com conteúdos racistas e nazis, incluindo cruzes suásticas”. Ao mesmo tempo, emitiram sons de macacos e proferiram “expressões como ‘Nigger’, ‘Nigger go home’, ‘Go back to Africa’”.

A PJ acrescenta que “o detido partilha em diversas plataformas digitais propaganda Neonazi” e “assume-se como defensor da ‘supremacia branca’ e dos movimentos internacionais, tal como o National Partisan Movement, através da propaganda que difunde”.

O suspeito será presente às autoridades judiciárias competentes, tendo em vista a aplicação das medidas de coação.

Sublinhe-se que a Escola Secundária de Camões confirmou, a 23 de fevereiro de 2021, que teve conhecimento da ocorrência de uma intervenção racista, por parte de um grupo anónimo, durante uma sessão online organizada pela Associação de Estudantes do estabelecimento de ensino e revelou que apresentou uma queixa ao Ministério Público, "no âmbito do Cibercrime, contra um ato de Discriminação e incitamento ao ódio e à violência, conforme previsto no Artigo 240º, nº 2, al. b), do Código Penal".

No mesmo dia, Rosa Monteiro, na altura secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, condenou o ataque racista. "A intimidação que este/as alunos/as sofreram tem de ser eficazmente investigada e punida. Bravas comunidades escolares que assim rompem os muros de silêncio", escreveu na rede social Facebook.

[Notícia atualizada às 17h32]

Leia Também: Apreendidos 177 quilos de cocaína no aeroporto de Lisboa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório