Meteorologia

  • 03 AGOSTO 2021
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

Mau Tempo. Régua estima prejuízos de 2,2 milhões após estragos

O mau tempo afetou 930 hectares de vinha no Peso da Régua e poderá originar um prejuízo de 2,2 milhões de euros na produção de vinho, segundo estimativas reveladas hoje pelo município.

Mau Tempo. Régua estima prejuízos de 2,2 milhões após estragos

O presidente da Câmara do Peso da Régua, José Manuel Gonçalves, referiu que foi feito um levantamento dos estragos causados pela queda de granizo e chuva intensa no concelho, na última semana, e pediu a intervenção do Governo para apoiar os agricultores afetados.

"O vinho é a principal atividade económica do concelho, é a mola do desenvolvimento do nosso concelho e desta região", afirmou o autarca à agência Lusa.

Segundo a informação divulgada pelo município do distrito de Vila Real, o território das uniões de freguesia de Poiares e Canelas e de Galafura e Covelinhas, na Região Demarcada do Douro, foi o mais afetado, com "prejuízos avultados na vinha, nos olivais, nas acessibilidades rurais e nos muros de suporte".

"No que respeita à produção de vinho, o levantamento aponta para perda na ordem dos 50%. A isto acresce a destruição completa de novas plantações, que ainda não estavam aptas a produzir e que será necessário replantar. A produção de azeite também foi afetada, verificando-se prejuízos avultados nos olivais", apontou a autarquia.

O município estima que o território afetado seja equivalente a 1220 hectares, dos quais 930 hectares são vinha (350 hectares na União de Freguesias de Poiares e Canelas e 580 hectares na União de Freguesias de Galafura e Covelinhas).

"Considerando a produção média de oito pipas por hectare, estima-se que, no que respeita à cultura de vinha, o prejuízo ronde os 2,2 milhões de euros", contabilizou.

A câmara deu conhecimento deste levantamento ao Ministério do Ambiente e à Direção Regional da Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN), aos deputados eleitos pelo distrito de Vila Real e aos grupos parlamentares, com assento na Assembleia da República, solicitando ajuda para "a mitigação dos prejuízos registados" no concelho do Peso da Régua.

Lembrou ainda que a Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM Douro), que representa 19 municípios, já solicitou uma audiência à ministra da Agricultura, com vista à avaliação conjunta dos prejuízos registados e à definição de soluções "urgentes" e "adequadas" às necessidades dos agricultores da região.

A Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN) referiu que, até quarta-feira, tinham sido afetados pelo granizo cerca de 2200 hectares de vinha principalmente nos concelhos de Armamar, Lamego, Peso da Régua e Vila Real.

A primeira ocorrência de queda de granizo, chuva intensa e trovoada aconteceu a 31 de maio, afetando principalmente o concelho de Vila Real.

Novos episódios de mau tempo aconteceram nos dia 11 e 13 de junho, atingindo também os concelhos de Peso da Régua, de Armamar e Lamego, todos inseridos na Região Demarcada do Douro.

Há uma semana que a trovada, acompanhada de chuva intensa e, em algumas situações, granizo, afeta diferentes concelhos do distrito de Vila Real.

Entre quinta-feira e hoje, verificaram-se várias inundações repentinas principalmente nos municípios de Murça e Valpaços, mas também em Chaves e Ribeira de Pena.

O serviço de Proteção Civil Municipal de Valpaços registou várias ocorrências, "a maior parte relacionadas com inundações, que provocaram obstáculos à circulação automóvel e inundações de terrenos agrícolas".

Durante o dia estiveram no terreno as equipas do departamento de ambiente, dos jardins e espaços verdes, e da Proteção Civil a proceder à limpeza das vias e valetas, de modo a atenuar os constrangimentos causados pelo mau tempo.

Leia Também: Mau tempo afeta também a vizinha Espanha e há imagens

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório