Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2021
Tempo
28º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

Aposta nas energias não é feita à custa dos consumidores

O ministro do Ambiente e Ação Climática garantiu hoje que a aposta do Governo nas energias renováveis não é feita à custa dos consumidores, que vão poupar dinheiro quando as centrais solares estiverem em funcionamento.

Aposta nas energias não é feita à custa dos consumidores

Falando no parlamento num debate sobre política setorial o ministro João Pedro Matos Fernandes explicou que se as centrais do leilão solar de 2019 estivessem em exploração os consumidores teriam poupado, desde o início do ano, cerca de 35 milhões de euros, que seriam 45 milhões se fosse tido em conta o segundo leilão (para energia solar).

Por isso vamos continuar, disse, com um novo leilão, "já em setembro, agora para as superfícies da água das albufeiras".

Na intervenção inicial da tarde de hoje, dedicada a políticas ambientais, o ministro deixou críticas aos partidos da oposição, disse ser "batota" que se queira reduzir as emissões de gases com efeito de estufa em 55% numa década e não se querer fechar a refinaria de Leça da Palmeira ou a central termoelétrica de Sines, ou ainda querer energias limpas, mas não aceitar os parques solares.

As iniciativas na área do ambiente vão aumentar com o Plano de Recuperação e Resiliência, avisou o ministro, dando como exemplos a recuperação de rios, o investimento de 130 milhões de euros em bioeconomia, a melhoria da eficiência energética dos edifícios, ou mais autocarros e mais recuperação de paisagem.

Um trabalho, que, alertou, precisa do esforço de todos, porque não se pode forrar o telhado de um supermercado com painéis solares e depois deitar fora produtos ainda consumíveis.

Leia Também: Matos Fernandes: Território deve estar no centro das políticas públicas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório