Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2020
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 16º

Edição

Matthias Schmelz: "Não vão encontrar nada que me possa comprometer"

O empresário Matthias Schmelz reagiu às buscas da Polícia Judiciária que esta segunda-feira incidem sobre as suas casas e empresa. O alemão está a ser investigado por ser suspeito de organizar orgias com menores.

Matthias Schmelz: "Não vão encontrar nada que me possa comprometer"
Notícias ao Minuto

13:40 - 16/12/19 por Notícias Ao Minuto 

País Matthias Schmelz

O milionário alemão Matthias Schmelz reagiu às buscas da Polícia Judiciária através de uma publicação nas redes sociais onde garantiu que as autoridades "não vão encontrar nada". 

Afirmando ter a consciência tranquila, o empresário lamentou "a instabilidade causada pelas buscas da PJ" na sua empresa e na sua casa. "Podem ficar completamente descansados porque eles não vão encontrar nada que me possa comprometer porque eu não fiz nada do que estou a ser acusado", garantiu. 

Recorde-se a Polícia Judiciária está esta segunda-feira a fazer buscas nas casas do alemão e na empresa Rainbow Portugal na sequência da investigação sobre orgias com menores. Com estas buscas, a autoridade procura possíveis provas do crime praticado como agendas e ficheiros eletrónicos que possam conter registos das práticas sexuais com menores.

Segundo o noticiado há cerca de um mês, o magnata dos aspiradores consumava o negócio das orgias através da rede social Instagram. O alemão contaria  com a ajuda de uma menor de 15 anos para a angariação de jovens para os encontros sexuais.

De acordo com a TVI, a alegada angariadora recrutava jovens na Escola Secundária de Vergílio Ferreira, em Telheiras, Lisboa, mas também através do Instagram. Como a rapariga tinha uma enorme popularidade nesta rede social, onde tem milhares de seguidores, utilizava-a para estabelecer contactos e aliciar outras menores para encontros sexuais a três.

A proposta era sempre a mesma, ainda segundo o canal de Queluz: Ter “sexo sem qualquer proteção” por 400 euros. Por cada jovem que acedesse aos desejos do milionário alemão, de 57 anos, a alegada angariadora ganhava 100 euros em forma de comissão.

As jovens que estivessem interessadas no ‘negócio’ só tinham de fazer um pedido para seguir Matthias Schmelz no Instagram. Depois disso, eram “avaliadas” pelo milionário através das fotografias publicadas nas redes sociais. Caso estivesse interessado, Matthias enviava um pedido para as seguir de volta. Este sinal significava a consumação do negócio.

A investigação da PJ conta com 10 menores referenciadas. Matthias Schmelz negou todos os crimes de que é suspeito, contudo, admitiu que tem uma namorada jovem e que esta está grávida.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório