Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2020
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 17º

Edição

Marcelo distingue Academia de Marinha com Ordem de Sant'Iago da Espada

O Presidente da República distinguiu hoje a Academia de Marinha com o título de membro honorário da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, numa cerimónia comemorativa dos 50 anos deste órgão de natureza cultural.

Marcelo distingue Academia de Marinha com Ordem de Sant'Iago da Espada

Numa intervenção no auditório da Academia de Marinha, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa elogiou a forma como este órgão da Marinha, com autonomia científica, "soube, numa palavra, institucionalizar-se", o que apontou como "coisa bem rara numa pátria antiga e sábia, mas avessa a institucionalizações".

"Soube desse modo honrar a nossa Marinha e nessa exata medida honrar Portugal. Que mais se poderia sonhar como fruto de meio século de vida, de meio século de serviço a todos nós?", prosseguiu o Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas.

O chefe de Estado acrescentou que "Portugal evoca, louva e agracia com o título de membro honorário da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada" a Academia de Marinha, "assim homenageando a excelência" ao serviço da "vocação nacional" de Portugal: "a convergência entre culturas, civilizações e continentes, sempre através dos oceanos, sempre através do mar".

A Ordem Militar de Sant'Iago da Espada destina-se a "distinguir o mérito literário, científico e artístico".

Na presença do ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, o Presidente da República referiu que há menos de dois anos assumiu "a simbólica presidência de honra desta academia" e destacou a importância da "estratégia portuguesa para o mar" no plano interno e como "componente decisiva" da política externa e de defesa nacional.

O ministro da Defesa também discursou nesta sessão de encerramento do ano académico e das comemorações do 50.º aniversário da Academia de Marinha, elogiando o contributo deste órgão para "promover uma cultura marítima ampla, verdadeiramente nacional" e para "quebrar as barreiras entre a arte e a ciência, entre civis e militares".

João Gomes Cravinho defendeu que este é o momento de repensar "o Atlântico, que tem vindo a ganhar uma nova centralidade geoestratégica" e assinalou que está "em fase de conclusão" a candidatura do Centro Geometoc (Geoespacial, meteorológico e oceanográfico) ao estatuto de centro de excelência da NATO, acrescentando: "Esperamos que durante o ano de 2020 possamos ter esse reconhecimento".

O ministro realçou também a conferência das Nações Unidas sobre os oceanos que se realizará em Lisboa em 2020 e desafiou a Academia de Marinha a "dar o seu contributo no decurso deste grande evento".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório