Meteorologia

  • 22 AGOSTO 2018
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 18º

Edição

Geração INOV despede-se de Macau com expetativas superadas

Mais de 20 jovens portugueses terminam, na sexta-feira, o estágio em empresas de Macau depois de meio ano de experiências que superaram as expetativas, muito graças à ajuda dos ex-INOV que ficaram no território.

Geração INOV despede-se de Macau com expetativas superadas
Notícias ao Minuto

08:20 - 12/08/18 por Lusa

País Experiência

Qualidade de vida, a experiência profissional e a grande receção da comunidade portuguesa em Macau são algumas das razões apontadas pelos jovens do programa INOV Contacto para considerarem que as suas expetativas foram superadas.

"As minhas expetativas eram altas quanto à experiência em Macau e foram superadas", disse à Lusa Gonçalo Gomes, um dos 21 estagiários que chegaram a Macau em fevereiro e que integram a 22.ª edição, nesta região asiática, do programa INOV Contacto, gerido pela Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), entidade responsável pela internacionalização da economia portuguesa.

"Eu acho que o INOV é um programa interessante que junta pessoas que querem sair do país a empresas que querem receber portugueses", explicou o engenheiro civil de 28 anos.

Diana Roque, jurista com a mesma idade, decidiu embarcar neste projeto porque sempre quis ter experiência profissional internacional, fora da sua zona de conforto.

"Em termos profissionais foi muito diferente, tive a oportunidade de trabalhar com clientes muito diferentes daqueles que são os clientes típicos num escritório de advogados português", contou Diana à Lusa.

Apesar da experiência profissional ter sido um sucesso, a vida em Macau ficou marcada, tanto para Gonçalo como para Diana, pela forma como foram recebidos pela comunidade portuguesa em Macau, muitos deles que já tinham participado em edições anteriores deste programa e que decidiriam ficar a trabalhar no território.

"Há um elo que se cria entre edições de INOV", afirmou Diana, acrescentado ter sido uma ótima surpresa a receção feita pelas pessoas que já tinham passado pela mesma experiência.

"Todos os ex-INOV que cá estão absorvem-nos. Criaram um grupo no Facebook para trocarmos mensagens entre nós, algumas dicas e especialmente para nos dizerem que não tínhamos necessidade de irmos para um hotel porque eles nos davam casa, alguns de nós ficaram duas, três semanas em casa deles".

O apoio aos 'recém-chegados' não acaba após os seis meses de estágio. Gonçalo é um bom exemplo disso: "ainda agora, que vou acabar o estágio, e vou ficar aqui mais uns tempos, imensa gente já se disponibilizou para me dar casa", disse, admitindo que ambiciona ficar a trabalhar em Macau devido à qualidade de vida, do trabalho e pela "grande mais valia, tanto a nível profissional como pessoal".

João Coelho e Inês Veloso Mendes participaram na edição anterior do INOV, ambos receberam propostas para trabalhar em Macau e decidiram ficar. Ao chegarem foram também eles bem-recebidos e agora foi a vez deles de retribuírem e ajudar os que chegaram.

Os dois, que já chegaram a partilhar casa, receberam dois INOV no apartamento, uma delas foi a Diana Roque.

"Este ano coube-nos receber quem chegava", contou João Coelho, que vive em Macau há mais de um ano e meio e fez o estágio em 2017 numa empresa de engenharia, a mesma que o contratou.

"As pessoas que já cá estão arranjam sempre forma de acolher quem vem", argumentou.

Inês Veloso Mendes, advogada de 31 anos, depois de terminar os seis meses de estágio, em 2017, foi também contratada pela mesmo escritório que a recebeu na altura.

"Tenho mais autonomia aqui (...) o que me fez aprender e crescer imenso", disse Inês Veloso Mendes, acrescentando que algumas das razões que a fizeram ficar em Macau foram os ordenados, que são superiores que em Portugal, e "aproveitar para conhecer melhor a cultura asiática e aprender mandarim".

Ao contrário da edição do ano passado, em que a maioria das pessoas recebeu propostas para ficar a trabalhar em Macau, este ano o número deverá descer consideravelmente.

"Este ano foi um bocadinho peculiar (...) na edição anterior foi muita gente absorvida e este ano tem havido algumas propostas, mas pelo que sei acho que as propostas não têm sido tão boas quando comparadas com os anos anteriores", afirmou Diana Roque.

O INOV Contacto é um programa de estágios profissionais internacionais dirigido a jovens com formação superior e entidades que queiram reforçar as suas equipas. Este programa engloba 81 países e os participantes só sabem para que país vão poucos dias antes.

"Vamos para um campus com as pessoas todas que foram selecionadas, mais ou menos umas 300 pessoas e ainda ninguém sabe para onde vai", explicou João Coelho.

"Estamos num auditório onde estão a passar uns slides, aparece o teu nome primeiro, depois o nome da empresa onde se é colocado e depois a bandeira do país (neste caso a da China) e a cidade [Macau]", concluiu.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.