Meteorologia

  • 14 DEZEMBRO 2018
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 13º

Edição

Polícia contaminado pela agente usado contra ex-espião deixou hospital

O polícia contaminado por um agente neurotóxico gasoso, identificado como Novichok, alegadamente usado contra o ex-espião russo Serguei Skripal, deixou hoje o centro hospitalar de Salisbury, revelou a administradora executiva da unidade do sudoeste de Inglaterra.

Polícia contaminado pela agente usado contra ex-espião deixou hospital
Notícias ao Minuto

18:16 - 22/03/18 por Lusa

Mundo Skripal

O agente Nick Bailey "deixou o hospital", disse Cara Charles-Barks aos jornalistas, precisando que Skripal e a filha, Yulia, permanecem "em estado crítico, mas estável".

Igualmente hoje, um juiz britânico autorizou a recolha de amostras de sangue do ex-espião e da filha, para que sejam analisadas pela Organização para a Interdição das Armas Químicas (OIAQ).

O ex-espião e a filha foram encontrados inconscientes no passado dia 04 de março, num banco num centro comercial em Salisbury (sul de Inglaterra).

Segundo Londres, ambos foram envenenados com um agente neurotóxico gasoso, identificado como Novichok, cujo fabrico remonta à altura da União Soviética e o Reino Unido responsabilizou Moscovo por esta tentativa de homicídio.

O juiz Williams decidiu autorizar a recolha das amostras face à "incapacidade" de decisão de Serguei e de Yulia, ainda hospitalizados em estado grave.

O magistrado pertence ao Tribunal de Proteção de Londres, que avalia casos relacionados com pessoas que não podem tomar decisões de forma autónoma.

Assim, os especialistas da OIAQ poderão avaliar, nas próximas semanas, se o agente neurotóxico usado contra Serguei e Yulia era ou não Novichok fabricado na Rússia.

O magistrado autorizou os médicos do hospital de Salisbury a entregarem aos inspetores internacionais não só as amostras de sangue como as cópias das notas médicas sobre o caso.

O caso Skripal provocou uma crise diplomática entre a Rússia e o Reino Unido, que já levou à expulsão de 23 diplomatas russos do território britânico e ao congelamento das relações bilaterais.

Moscovo respondeu expulsando 23 diplomatas britânicos e suspendendo a atividade do British Council na Rússia.

O Governo russo tem vindo a dizer que nada teve a ver com o envenenamento de Skripal e da filha, argumentando que tal não o beneficiaria em nada.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório