Julgamento de ex-Presidente da Coreia do Sul arranca a 02 de maio

A primeira sessão do julgamento por corrupção da Presidente destituída da Coreia do Sul vai realizar-se a 02 de maio, uma semana antes das presidenciais antecipadas, foi hoje anunciado.

© Reuters
Mundo Coreia do Sul

Fontes próximas do tribunal do distrito central de Seul, que vai julgar o caso, indicaram à agência noticiosa sul-coreana Yonhap que essa foi a data escolhida para uma audiência preparatória, à qual Park Geun-hye, de 65 anos, não é obrigada a assistir.

PUB

A defesa vai apresentar ao tribunal a posição de Park perante as acusações de que é alvo, que incluem abuso de poder, suborno, coação ou revelação de segredos de Estado.

O Ministério Público oficializou, na passada segunda-feira, as acusações contra Park, que se encontra em prisão preventiva desde 31 de março.

Caso seja considerada culpada, a filha de Park Chung-hee, chefe do exército que governou o país entre 1961 e 1979, enfrenta uma pena que pode ir de dez anos a prisão perpétua.

A acusação considerou provado que Park criou, com a amiga Choi Soon-sil, uma rede através da qual pediu e obteve subornos de pelo menos três empresas -- Samsung, Lotte e SK -- no valor de cerca de 59.200 milhões de wons (cerca de 48 milhões de euros).

Park Geun-hye começou a ser investigada depois de perder a imunidade presidencial, no seguimento da destituição pelo Tribunal Constitucional, a 10 de março.

Esta foi a primeira vez que a Coreia do Sul destituiu um Presidente eleito democraticamente e a primeira vez que celebra eleições presidenciais antecipadas.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser