Juntos como amantes, eram suspeitos de matar doentes. Agora foram detidos

Um médico anestesista suspeito de matar vários doentes terminais e a sua amante, uma enfermeira cujo marido ele terá ajudado a matar administrando-lhe medicamentos contraindicados, foram hoje detidos perto de Milão, noticiou a imprensa italiana.

© Getty Images
Mundo Justiça

Leonardo Cazzaniga, de 60 anos, é suspeito de ter matado pelo menos quatro doentes seus no hospital de Saronno, na Lombardia, em 2012 e 2013 -- pessoas idosas a quem quis abreviar o sofrimento através de uma 'overdose' de medicamentos, de acordo com os primeiros elementos da investigação.

PUB

O clínico é igualmente suspeito de ter ajudado a amante, uma enfermeira de 40 anos que trabalhava no mesmo hospital, a matar o seu marido, de 45 anos, fazendo crer que ele era diabético.

Segundo os investigadores, os dois amantes deram ao marido, durante um longo período, um 'cocktail' de substâncias "totalmente incompatíveis" com o seu verdadeiro estado de saúde, até provocarem a sua morte, em junho de 2013.

Detidos hoje de manhã após dois anos de investigação, foram ambos formalmente acusados de homicídio premeditado.

Várias outras pessoas estão a ser investigadas no âmbito deste caso, incluindo diversos médicos que tardaram a reagir quando o pessoal do hospital apontou factos suspeitos.

Os investigadores concluíram que o doutor Cazzaniga tinha criado um "protocolo" pessoal para os doentes terminais, à base de doses excessivas e sucessivas de analgésicos e anestésicos.

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS