Hungria defende aceleração dos processos de adesão à União Europeia

A Hungria defendeu hoje que a União Europeia (UE) deve acelerar as conversações de adesão com os seis países dos Balcãs Ocidentais - Albânia, Bósnia-Herzegovina, Kosovo, Macedónia, Montenegro e Sérvia, se quer reforçar a sua segurança.

© Reuters
Mundo Balcãs Ocidentais

Os seis países, frisou Peter Szijjarto, precisam de ser reforçados para enfrentarem novas vagas de refugiados "e a via mais rápida para os reforçar é oferecer-lhes acesso à UE".

PUB

O ministro húngaro falava num encontro que reuniu em Varsóvia representantes dos países da Europa central e sudeste e dirigentes da UE, entre os quais a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

A Comissão Europeia afastou qualquer nova adesão antes de 2020.

"Devíamos alargar nos próximos cinco anos", disse Szijjarto, advertindo para consequências da lentidão nestes processos como "sérios riscos para a segurança e a economia".

O ministro propôs abrir três novos capítulos nas negociações com a Sérvia, abrir conversações com a Albânia e evitar o impasse com a Macedónia pela promoção de um entendimento bilateral com a Grécia.

Ao intervir, a chefe da diplomacia europeia apontou "progressos impressionantes" alcançados nesse processo desde o início do seu mandato, há dois anos, e manifestou o desejo de ver os processos de adesão numa fase "irreversível" antes de cessar funções, dentro de três anos.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser