Equipa brasileira queria voo charter. Pedido não foi aceite

O avião onde seguia a Chapecoense despenhou-se na Colômbia.

© Reuters
Mundo Acidente

A equipa brasileira Chapecoense, que seguia a bordo do avião que se despenhou na Colômbia, não deveria ter apanhado este voo comercial e só o fez porque a autoridade de aviação brasileira impediu o transporte num voo charter.

PUB

O fatídico voo viria a partir duas horas mais tarde de São Paulo e fez uma escala, algo que não estava nas previsões dos responsáveis do clube.

O Chapecoense classificou-se para a final da Copa Copa Sul-Americana, cujo primeiro jogo iria acontecer amanhã, dia 30 de novembro, contra o Atlético Nacional, em Medellin. Na altura, a equipa pediu um voo chater mas a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) não autorizou.

A aeronave CP2933 era esperada no Aeroporto Internacional Jose Maria Cordova Rionegro por volta da meia-noite na Colômbia, mas acabou por cair cerca das 22h15.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS