Meteorologia

  • 19 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Países bálticos vão propor aumento de gastos em defesa para 2,5% do PIB

Os países bálticos anunciaram hoje que vão propor aos aliados da NATO, na próxima cimeira da organização, a decorrer em julho em Washington, a fixação de 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) como novo limite mínimo para gastos em defesa.

Países bálticos vão propor aumento de gastos em defesa para 2,5% do PIB
Notícias ao Minuto

20:14 - 22/05/24 por Lusa

Mundo NATO

Em conferência de imprensa após um encontro dos ministros da defesa dos países bálticos, na cidade termal lituana de Palanga, o governante da Estónia, Hannu Pevkur, afirmou que o atual patamar mínimo de 2% do PIB já não parece ser suficiente, pelo que instará os aliados a aumentá-lo em 0,5 pontos percentuais.

Observando que os três países bálticos - Estónia, Letónia e Lituânia - se comprometeram a gastar cerca de 3% do PIB em defesa, Pevkur disse que outros aliados "são bem-vindos a juntar-se ao clube dos 3%".

O ministro da Defesa da Lituânia, Laurynas Kasciunas, disse que uma questão importante para os países bálticos na cimeira da NATO seria a exequibilidade dos planos de defesa para a região preparados após o último encontro de alto nível, no ano passado em Vilnius.

"A defesa pela negação é essencial", disse Kasciunas, explicando que, em política de defesa, negação significa que devem existir tropas suficientes e outras medidas para impedir que um inimigo atravesse ou ocupe qualquer território do Báltico.

A este respeito, a Lituânia anunciará detalhes sobre a sua parte numa linha de defesa comum do Báltico contra a Rússia, acordada pelos três países no início deste ano.

A Lituânia planeia tanto fortificações fixas como os chamados "parques de contramobilidade", onde tropas e equipamentos, incluindo minas antitanque e antipessoais, poderiam ser rapidamente reunidos em áreas ameaçadas.

O ministro da Defesa da Letónia, Andris Spruds, declarou que os três países estão a trabalhar para aumentar a capacidade de defesa do seu território através da construção de infraestruturas para que cada um possa acolher uma brigada completa da NATO.

A Estónia está a preparar a chegada de uma brigada britânica, elementos de uma brigada alemã já estão na Lituânia, enquanto a Letónia acolherá uma brigada canadiana reforçada por um efetivo do Exército sueco.

Os ministros da defesa dos Bálticos sublinharam também a necessidade de continuar a cooperação na aquisição de material militar como forma de poupar nos custos totais.

A Letónia e a Estónia já estão a adquirir conjuntamente o sistema de mísseis de defesa aérea de médio alcance IRIS-T, de fabrico alemão.

Andris Spruds, sublinhou que a aquisição conjunta era essencial para criar capacidades comuns e interoperáveis ??entre os três países vizinhos.

Leia Também: Israel pretende o regresso a quatro colonatos na Cisjordânia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório