Meteorologia

  • 21 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 26º

Líder supremo do Irão diz que mulheres devem obedecer e cobrir-se com véu

O líder supremo do Irão, o 'ayatollah' Ali Khamenei, frisou hoje que as mulheres iranianas devem obedecer e cobrir os cabelos com um véu islâmico, algo que muitas deixaram de fazer após a morte de Mahsa Amini.

Líder supremo do Irão diz que mulheres devem obedecer e cobrir-se com véu
Notícias ao Minuto

22:47 - 03/04/24 por Lusa

Mundo Irão

"O véu é uma regra absoluta da 'sharia' [lei islâmica] e é obrigatório que as mulheres cubram tudo, exceto o rosto e as mãos", referiu Khamenei, numa reunião com autoridades em Teerão.

"As nossas mulheres são religiosas e devem obedecer", sublinhou.

Khamenei lembrou que no Irão existe legislação que impõe o uso do 'hijab' [véu islâmico] e que as leis são obrigatórias para todos os cidadãos.

Muitas mulheres iranianas deixaram de utilizar o véu islâmico obrigatório como forma de protesto e desobediência civil desde a morte de Amini, após esta ter sido detida pela polícia da moralidade em setembro de 2022, incidente que desencadeou um protesto sem precedentes - e violentamente reprimido - no Irão e o nascimento do movimento Mulher, Vida, Liberdade.

A forte repressão aos protestos causaram pelo menos 500 mortes e milhares de detenções, sendo que oito manifestantes foram executados, um destes em público.

O líder supremo do Irão apontou ainda que o 'desafio' contra o véu foi incentivado por estrangeiros, acusação que as autoridades do país já fizeram no passado.

"Este caso foi provocado desde fora do país e algumas pessoas ajudaram de dentro. As nossas mulheres sábias deveriam prestar atenção a este ponto", realçou.

Desde a repressão aos protestos as autoridades iranianas tentaram reimpor o uso do véu com vários métodos de coerção, mas não conseguiram completamente.

A Amnistia Internacional (AI) denunciou no início de março que as autoridades iranianas estão a levar a cabo uma campanha massiva de repressão contra as mulheres que não usam o véu, com o confisco de milhares de veículos, penas de prisão e até chicotadas.

Leia Também: Irão exige a Guterres "resposta adequada" a ataque israelita na Síria

Recomendados para si

;
Campo obrigatório