Meteorologia

  • 17 ABRIL 2024
Tempo
20º
MIN 14º MÁX 28º

Condenada a perpétua por matar homem para satisfazer fantasia sexual

Mulher, conhecida como "assassina de gatos", matou um engenheiro espanhol.

Condenada a perpétua por matar homem para satisfazer fantasia sexual
Notícias ao Minuto

21:14 - 26/02/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Inglaterra

Scarlet Blake, uma mulher conhecida como "assassina de gatos", foi condenada, esta segunda-feira, a prisão perpétua, com uma pena mínima de 24 anos, pelo homicídio de um engenheiro espanhol, identificado como Jorge Martin Carreno, em Oxford, Inglaterra, para concretizar uma fantasia sexual. 

O homicídio aconteceu em julho de 2021. Scarlet Blake, de 26 anos, atacou Jorge Martin Carreno, de 30 anos, quando este regressava a casa depois de uma saída à noite. Blake, que é uma mulher transgénero, conseguiu levar o homem até uma margem isolada do rio Cherwell, onde o atingiu na cabeça com uma garrafa de vodca. Posteriormente, foi estrangulado e empurrado para o rio, onde se afogou.

Hoje, no Tribunal da Coroa de Oxford, durante a leitura da sentença, o juiz disse que a "decisão de matar Jorge não foi uma reação a algo que ele tinha dito ou feito".

"Não foi um erro momentâneo. Não foi uma decisão tomada com raiva, ou porque as suas emoções a dominaram. Foi o culminar de um plano que [Blake] tinha estado a considerar e a formular durante meses", disse o juiz, segundo cita o The Guardian. 

O juiz disse que não havia provas de atividade sexual no local do crime, mas que havia "amplas provas de que [Blake] obteve gratificação sexual com o estrangulamento", acrescenta. 

Meses antes, a mulher tinha feito uma transmissão em direto, nas redes sociais, enquanto torturava e matava o gato de um vizinho. 

"Havia, portanto, uma clara motivação sexual para o assassinato. Também acredita que obteria prazer, sexual ou não, da experiência de matar uma pessoa. Tenho a certeza de que teve prazer em matar o Jorge, tal como teve em matar o gato", sublinhou o juiz. 

Antes, os procuradores já haviam defendido que Blake tinha matado o engenheiro, que trabalhava para a BMW, porque tinha uma "fixação pela violência e por saber como seria matar alguém" e obtinha prazer sexual em violência e homicídios. 

Durante o julgamento, foi mostrado um vídeo de Blake, no qual surgia a colocar, consensualmente, uma ligadura à volta do pescoço da sua então companheira. Nas imagens surgia a puxar a ligadura com força até a companheira parecer cair inconsciente.

Blake mudou-se da China para o Reino Unido com nove anos de idade. 

Leia Também: Descoberta insólita. Perna humana encontrada no metro de Nova Iorque

Recomendados para si

;
Campo obrigatório