Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 26º

Ucrânia acusa Coreia do Norte de fornecer mísseis à Rússia

Os Serviços de Segurança Ucranianos (SBU) acusaram hoje a Rússia de utilizar mísseis de fabrico norte-coreano para efetuar ataques contra alvos civis na Ucrânia.

Ucrânia acusa Coreia do Norte de fornecer mísseis à Rússia
Notícias ao Minuto

12:42 - 22/02/24 por Lusa

Mundo Ucrânia

"Estamos a falar de mísseis balísticos Hwasong-11 (KN-23/24) (...) De acordo com a nossa investigação, as tropas russas dispararam mais de 20 [destas] armas norte-coreanas contra a Ucrânia", afirmou o SBU em comunicado.

O organismo acrescentou que estes ataques mataram "pelo menos 24 civis" e feriram mais de uma centena de pessoas na Ucrânia.

O SBU divulgou também imagens de supostos destroços dos mísseis.

De acordo com a mesma fonte, os mísseis norte-coreanos foram utilizados na Ucrânia em 30 de dezembro de 2023 na região meridional de Zaporijia, e depois no início de janeiro em Kyiv, num ataque contra um edifício que matou quatro pessoas e feriu cerca de 50 civis.

De acordo com o SBU, estes mísseis foram também utilizados em ataques contra cinco localidades na região de Donetsk (leste), matando 17 civis, e contra a cidade de Kharkiv, matando três pessoas e ferindo mais de 60.

A Rússia e a Coreia do Norte, que mantêm boas relações desde a Guerra Fria, promoveram a aproximação diplomática nos últimos meses.

A Coreia do Sul e os Estados Unidos afirmam que, apesar das sanções das Nações Unidas, Pyongyang está a enviar armas para a Rússia para apoiar o ataque à Ucrânia, possivelmente em troca de assistência técnica para o programa de satélites espiões. Moscovo rejeita estas acusações.

Os analistas alertaram recentemente para o facto de a Coreia do Norte poder testar mísseis de cruzeiro antes de os enviar para a Rússia para serem utilizados na Ucrânia.

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, deslocou-se à Rússia em setembro do ano passado para se encontrar com o Presidente russo, Vladimir Putin, que deverá visitar Pyongyang.

Leia Também: Ucrânia vive situação mais precária desde início da invasão russa

Recomendados para si

;
Campo obrigatório