Meteorologia

  • 01 MARçO 2024
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 15º

Demitiu-se Robert Jenrick, o ministro britânico da Imigração

Robert Jenrick aponta "divergências" em "matéria de imigração."

Demitiu-se Robert Jenrick, o ministro britânico da Imigração
Notícias ao Minuto

19:45 - 06/12/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo Reino Unido

O ministro da Imigração do Reino Unido, Robert Jenrick, demitiu-se, esta quarta-feira. "É com grande tristeza que escrevi ao primeiro-ministro para apresentar a minha demissão como ministro da Imigração", revelou, numa publicação divulgada na rede social X (antigo Twitter), na qual partilhou também a sua carta de demissão.

"Não posso continuar na minha posição quando tenho divergências tão fortes com a direção da política do governo em matéria de imigração", acrescentou.

Note-se que a demissão surge depois de o governo britânico ter publicado uma legislação de emergência destinada a pôr em funcionamento o esquema para deportar para o Ruanda os imigrantes ilegais que estejam a viver no Reino Unido.

A informação da demissão também já tinha sido confirmada pelo ministro do Interior, James Cleverly, após terem sido avançadas várias notícias sobre o tema na imprensa.

Jenrick era ministro da Imigração desde outubro do ano passado. 

Esta demissão aumenta a pressão sobre o primeiro-ministro, Rishi Sunak, convocado a ser ainda mais duro na luta contra a imigração ilegal pela ala direita do seu partido, sob pena de ser eliminado nas próximas eleições legislativas.

A demissão de Jenrick ocorre apenas um dia depois de ter sido assinado o novo acordo migratório com o Ruanda, um novo pacto que resolve as dúvidas levantadas pelo Supremo Tribunal relativamente à iniciativa anterior, especialmente no que diz respeito ao regresso ao país de origem daqueles realocados em território ruandês.

Em meados de novembro, o Supremo Tribunal derrubou uma das principais medidas do Governo de Rishi Sunak, que propunha o fretamento de voos com migrantes para o Ruanda para reduzir a carga migratória no Reino Unido.

Os juízes não foram claros se o Ruanda poderia ser considerado para efeitos legais como um país seguro para este tipo de medidas, questionado por organizações de direitos humanos.

O novo acordo garante que os migrantes que chegam ao Ruanda "não correm o risco de serem devolvidos a um país onde a sua vida ou liberdade esteja ameaçada" e propõe que uma comissão independente supervisione, entre outras questões, as condições em que os migrantes são recebidos ou o processo pelo qual os seus pedidos de asilo são analisados.

O Ruanda alertou hoje que se irá retirar do tratado que visa acolher os migrantes que cheguem ilegalmente ao Reino Unido, caso Londres não respeite o direito internacional.

[Notícia atualizada às 21h44]

Leia Também: Descobertos 47 migrantes dentro de um camião a caminho do Reino Unido

Recomendados para si

;
Campo obrigatório