Meteorologia

  • 26 MAIO 2024
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 23º

Putin promete continuar apoio à RCA para reforçar soberania e segurança

O Presidente russo, Vladimir Putin, prometeu hoje ao seu homólogo da República Centro-Africana, Faustin Archange Touadéra, que Moscovo continuará a apoiar o país no reforço da sua soberania e segurança.

Putin promete continuar apoio à RCA para reforçar soberania e segurança
Notícias ao Minuto

20:55 - 28/07/23 por Lusa

Mundo RCA

"A cooperação entre os nossos Estados tem recebido um bom impulso nos últimos anos. Apoiamos os esforços da liderança da República Centro-Africana para reforçar a soberania e as capacidades de defesa, bem como para combater o extremismo e os grupos terroristas", disse Putin a Touadéra numa reunião no final da cimeira Rússia/África em São Petersburgo.

Putin sublinhou que a Rússia tenciona continuar a prestar "assistência prática" à República Centro-Africana, onde os mercenários do grupo paramilitar russo Wagner têm presença significativa.

O Presidente russo lamentou que a cooperação económica e comercial entre as partes não esteja ao mesmo nível de outros laços, mas garantiu que esta situação será corrigida através da execução de "projetos promissores".

Touadéra, por seu lado, assegurou que, graças à Rússia, a República Centro-Africana obteve "paz e estabilidade" após "um período complicado" da sua história recente.

"O nosso país esteve completamente sob a influência de grupos armados em 2016, houve tentativas de golpe de Estado e problemas de segurança", afirmou.

Por esta razão, acrescentou Touadéra, Bangui está grato pelo apoio russo e quer continuar a cooperação.

"Confiamos em si, Senhor Presidente. Esperemos que a cooperação bilateral e o nosso trabalho sejam intensificados", disse a Putin.

A República Centro-Africana tem sofrido uma violência sistémica desde o final de 2012, quando uma coligação de grupos rebeldes de maioria muçulmana - a Séléka - tomou Bangui e derrubou o Presidente François Bozizé após dez anos no poder (2003-2013), desencadeando uma guerra civil.

Touadéra chegou ao poder em 2016 e foi reeleito nas eleições presidenciais de 2020, mas a oposição pediu a anulação das eleições depois de mais de 40% das assembleias de voto não terem podido funcionar devido à insegurança.

A imprensa russa noticiou na quinta-feira que o chefe do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin, se reuniu em São Petersburgo com representantes do Níger, Mali e República Centro-Africana, onde mercenários russos chegaram esta semana para garantir a segurança do referendo constitucional de domingo.

Simultaneamente, uma mensagem áudio de uma alegada declaração de Prigozhin sobre a situação no Níger, na qual apoia o golpe de Estado nesse país, foi divulgada nos canais Telegram próximos de Wagner.

"O que se passou no Níger não é outra coisa senão a luta do povo desse país contra os colonizadores", diz a voz, semelhante à de Prigozhin, acrescentando que o derrube do Presidente do Níger, Mohamed Bazoum, significa "de facto, a conquista da independência" desse país.

Leia Também: Putin anuncia acordo para "ordem mundial multipolar"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório