Meteorologia

  • 21 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 17º MÁX 25º

EUA convidam 120 líderes para a 2.ª Cimeira das Democracias

O Governo norte-americano liderado por Joe Biden convidou 120 líderes de todo o mundo para a cimeira das democracias, que decorre na próxima semana, incluindo representantes de oito países que não foram convidados para o evento inaugural, em 2021.

EUA convidam 120 líderes para a 2.ª Cimeira das Democracias
Notícias ao Minuto

06:39 - 23/03/23 por Lusa

Mundo EUA

Fonte do Governo dos EUA adiantou à agência Associated Press (AP) o número de líderes globais convidado para o evento.

Os países da Bósnia-Herzegovina, Gâmbia, Honduras, Costa do Marfim, Liechtenstein, Mauritânia, Moçambique e Tanzânia receberam convites para a cúpula deste ano, depois de ficarem de fora da lista de convidados para o encontro de 2021.

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, intervirá de forma virtual no primeiro dia do evento, 28 de março, e falará sobre a sua visão de uma "paz justa e duradoura" para a Ucrânia, invadida pela Rússia a 24 de fevereiro de 2022, segundo o programa da reunião divulgado pelo Departamento de Estado norte-americano.

Zelensky falará num painel moderado pelo secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, no qual participarão chefes da diplomacia de um "grupo de países regionalmente diversificado", com o objetivo de haver diferentes perspetivas, de acordo com o Departamento de Estado.

A cimeira deste ano realiza-se na próxima quarta e quinta-feira, sendo coorganizado pelos governos da Costa Rica, Países Baixos, Coreia do Sul e Zâmbia.

O primeiro dia da cimeira será virtual e será seguido de encontros híbridos em cada um dos países anfitriões, com a participação de representantes do Governo, da sociedade civil e do setor privado.

O mundo passou por grandes mudanças desde a cimeira de dezembro de 2021, com os países a enfrentarem uma pandemia global.

Depois, seguiu-se a invasão russa da Ucrânia, a guerra de maior escala na Europa desde a Segunda Guerra Mundial, que devastou o país do leste europeu e abalou a economia global.

O Presidente norte-americano irá procurar argumentar que os eventos do ano passado colocaram em evidência que o Governo democrático baseado no Estado de Direito e na vontade da população continua a ser, apesar de tudo, o melhor sistema para promover a prosperidade e a paz, adiantaram fontes da Casa Branca.

Biden inicialmente propôs a ideia de uma cimeira da democracia durante a sua campanha presidencial de 2020 e repetidamente tem defendido que os EUA e aliados com ideias semelhantes precisam de mostrar ao mundo que as democracias são um veículo melhor para as sociedades do que as autocracias.

Leia Também: Mais de 400kg de fentanil apreendidos em ação na fronteira sul dos EUA

Recomendados para si

;
Campo obrigatório