Meteorologia

  • 14 JUNHO 2024
Tempo
20º
MIN 15º MÁX 25º

Putin em Mariupol? "O criminoso volta sempre à cena do crime"

As palavras de Podolyak fazem eco das declarações das autoridades ucranianas, que acusaram o chefe de Estado russo de visitar Mariupol, no leste do país, durante a noite para ocultar a realidade de uma cidade totalmente destruída pelo seu exército e para evitar "olhares curiosos".

Putin em Mariupol? "O criminoso volta sempre à cena do crime"
Notícias ao Minuto

15:49 - 19/03/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo Ucrânia/Rússia

O conselheiro presidencial ucraniano, Mykhailo Podolyak, apontou que a visita do presidente russo, Vladimir Putin, a Mariupol representa o seu “cinismo e falta de arrependimento” no que diz respeito às vidas perdidas no conflito com a Ucrânia, atirando, por isso, que “o criminoso volta sempre à cena do crime”.

“O criminoso volta sempre à cena do crime. Enquanto o mundo civilizado anuncia a prisão do ‘diretor de guerra’ (Putin) caso cruze as suas fronteiras, o assassino de milhares de famílias de Mariupol veio admirar as ruínas da cidade e os seus túmulos. Cinismo e falta de arrependimento”, escreveu o responsável, na rede social Twitter.

As suas palavras fazem eco das declarações das autoridades ucranianas, que acusaram o chefe de Estado russo de visitar Mariupol, no leste do país, durante a noite para ocultar a realidade de uma cidade totalmente destruída pelo seu exército e para evitar "olhares curiosos".

Esta visita, que o Kremlin classificou "de trabalho", foi, aparentemente, decidida de forma espontânea, depois da sua visita no sábado à Crimeia, coincidindo com o aniversário de anexação daquela península, em 2014.

Putin chegou de helicóptero naquela que foi a sua primeira viagem ao Donbass, tendo sido visto a conduzir um carro, percorrendo vários bairros da cidade, acompanhado pelo vice-primeiro-ministro, Marat Jusnulin.

As imagens mostram também Putin a visitar unidades habitacionais recentemente construídas, com um parque infantil no centro, e a falar com um grupo de cidadãos, aparentemente residentes locais.

Lançada a 24 de fevereiro, a ofensiva militar russa na Ucrânia já provocou a fuga de mais de 14 milhões de pessoas, segundo os dados mais recentes da Organização das Nações Unidas (ONU), que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A entidade confirmou ainda que já morreram mais de 8.231 civis desde o início da guerra e 13.734 ficaram feridos, sublinhando, contudo, que estes números estão muito aquém dos reais.

Leia Também: Kyiv acusa Putin de visitar Mariupol "de noite" para ocultar destruição

Recomendados para si

;
Campo obrigatório