Meteorologia

  • 02 FEVEREIRO 2023
Tempo
12º
MIN 5º MÁX 13º

Leopard? Decisão da Alemanha "eleva o conflito a novo nível de confronto"

Embaixada russa na Alemanha acusou o país de abandonar a sua "responsabilidade histórica para com a Rússia".

Leopard? Decisão da Alemanha "eleva o conflito a novo nível de confronto"
Notícias ao Minuto

13:35 - 25/01/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Guerra na Ucrânia

A embaixada da Rússia na Alemanha considerou, esta quarta-feira, que a decisão de Berlim de enviar tanques Leopard 2 à Ucrânia “é extremamente perigosa” e “eleva o conflito a um novo nível de confronto”.

Num comunicado, citado pela agência de notícias Al Jazeera, a embaixada acusou ainda o país de abandonar a sua “responsabilidade histórica para com a Rússia”.

“Esta decisão extremamente perigosa eleva o conflito a um novo nível de confronto e contradiz as declarações dos políticos alemães sobre a relutância da República Federal da Alemanha em ser arrastada para o mesmo”, destacou o embaixador Sergey Nechayev.

Sublinhe-se que a Alemanha autorizou o envio de carros de combate Leopard 2 de fabrico alemão para os militares ucranianos combaterem a invasão russa e aprovou os pedidos de outros países no mesmo sentido, de acordo com um porta-voz do executivo de Berlim.

“Esta decisão segue a nossa linha conhecida de apoiar a Ucrânia da melhor maneira possível. Atuamos internacionalmente de maneira altamente coordenada", declarou o chanceler alemão, Olaf Scholz, citado pelo seu porta-voz, Steffen Hebestreit.

Também hoje, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, alertou que o envio de mais armas por parte do Ocidente à Ucrânia irá trazer “mais sofrimento” ao país invadido pela Rússia, além de “mais tensão ao continente” europeu.

“Infelizmente, mais armas da NATO vão trazer mais sofrimento para as pessoas da Ucrânia. Traz também mais tensão ao continente. Mas não se pode impedir a Rússia de alcançar os seus objetivos”, disse o responsável à CNN Internacional.

O conflito entre a Ucrânia e a Rússia começou com o objetivo, segundo Vladimir Putin, de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia. A operação foi condenada pela generalidade da comunidade internacional.

A ONU confirmou que cerca de sete mil civis morreram e mais de 11 mil ficaram feridos na guerra, sublinhando que os números reais serão muito superiores e só poderão ser conhecidos quando houver acesso a zonas cercadas ou sob intensos combates.

Leia Também: Ucrânia saúda decisão alemã de enviar tanques Leopard

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório