Meteorologia

  • 01 FEVEREIRO 2023
Tempo
12º
MIN 5º MÁX 14º

Irmãos suecos acusados de espiarem para a Rússia começaram a ser julgados

Dois irmãos começaram a ser julgados hoje na Suécia, acusados de espiar para a Rússia e para o seu serviço de inteligência militar GRU durante uma década, enfrentando penas de prisão perpétua.

Irmãos suecos acusados de espiarem para a Rússia começaram a ser julgados
Notícias ao Minuto

23:31 - 25/11/22 por Lusa

Mundo Rússia

Peyman Kia, de 42 anos, e Payam Kia, de 35 anos, nascidos no Irão, compareceram perante o Tribunal Distrital de Estocolmo para enfrentar acusações de terem trabalhado em conjunto para passar informações à Rússia entre 28 de setembro de 2011 e 20 de setembro de 2021.

Entre 2014 e 2015, Peyman Kia trabalhou para a agência de inteligência da Suécia, mas também para as Forças Armadas do país.

Os procuradores suecos alegam que os dados que forneceram aos russos eram originários de várias autoridades do serviço de segurança e inteligência sueco, conhecido pela sigla SAPO.

Os órgãos de comunicação social suecos noticiaram que Peyman Kia trabalhou para a agência de inteligência de defesa estrangeira das Forças Armadas suecas, a MUST, e que trabalhou com uma unidade ultrassecreta dentro da agência que lidava com espiões suecos fora do país.

Joakim von Braun, especialista em inteligência, referiu à estação sueca SVT que, embora muitos detalhes permaneçam desconhecidos, este parece ser um dos casos de espionagem mais prejudiciais da história da Suécia, porque os suspeitos compilaram uma lista de todos os funcionários da SAPO.

"Isso por si só é um grande problema, porque a inteligência russa concentra-se em fontes humanas", realçou Von Braun.

"Estes dados são absolutamente os dados mais secretos disponíveis", salientou o procurador Mats Ljungqvist ao tribunal, considerando este um "julgamento incomum", porque não surge um caso semelhante na Suécia "há mais de 20 anos".

Um dos maiores escândalos de espionagem da Suécia ocorreu durante a Guerra Fria, quando Stig Bergling, um oficial de segurança sueco que trabalhava tanto para o SAPO quanto para as Forças Armadas, vendeu segredos à União Soviética.

Bergling foi condenado em 1979 a prisão perpétua por acusações semelhantes e mais tarde fugiu da prisão enquanto cumpria a sua pena. Voltou voluntariamente para a Suécia em 1994, onde morreu, em janeiro de 2015.

Peyman Kia foi detido em setembro de 2021 e o seu irmão em novembro de 2021. Ambos negaram qualquer irregularidade, segundo referiram os seus advogados de defesa em tribunal.

Segundo a acusação, Payam Kia ajudou o seu irmão e "desmontou e quebrou um disco rígido que mais tarde foi encontrado num caixote do lixo" depois de Peyman ter sido detido, noticiou a agência Associated Press (AP).

Estes cidadãos suecos, que nasceram no Irão, enfrentam penas de prisão perpétua caso sejam condenados.

Num caso separado e não relacionado, as autoridades suecas libertaram na quinta-feira uma das duas pessoas detidas esta semana por suspeita de espionagem contra a Suécia e outra potência estrangeira não identificada.

O suspeito libertado continua a ser investigado e as autoridades não explicaram a razão pela qual a outra pessoa ficou detida.

Os dois foram detidos na terça-feira, numa operação na região de Estocolmo e os órgãos de comunicação social suecos noticiaram que estes são um casal russo, com cerca de 70 anos, que chegou à Suécia no final dos anos 1990.

As autoridades suecas divulgaram, sobre este caso, que "uma das pessoas detidas é suspeita de atividade de inteligência ilegal agravada contra a Suécia e de atividade de inteligência agravada contra uma potência estrangeira", enquanto a outra "é suspeita de cumplicidade". A nota de imprensa detalhava também que uma terceira pessoa foi alvo de interrogatório.

Segundo documentos judiciais obtidos pela agência France-Presse (AFP), a acusação estima que a recolha de informações de inteligência começou em janeiro de 2013 na região de Estocolmo.

Leia Também: Casal russo detido na Suécia por suspeita de espionagem

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório