Meteorologia

  • 09 AGOSTO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 30º

Parlamento polaco aprova extinção de órgão judicial criticado por UE

O parlamento polaco aprovou hoje a extinção de um controverso órgão disciplinar do Supremo Tribunal da Polónia que o Governo de direita tem usado para punir magistrados críticos e que foi condenado pela União Europeia (UE).

Parlamento polaco aprova extinção de órgão judicial criticado por UE
Notícias ao Minuto

20:19 - 26/05/22 por Lusa

Mundo Polónia

O executivo polaco espera que a votação ponha fim à sua disputa com a UE, abrindo caminho a um acordo para o pagamento por Bruxelas de milhares de milhões de euros de fundos de recuperação congelados à Polónia.

Os novas normas judiciais precisarão ainda da aprovação do Senado e do Presidente da República polaco, Andrzej Duda, que é o seu principal autor.

O primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, disse no parlamento, antes da votação, que se espera que a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, assine o acordo em Varsóvia a 02 de junho.

As negociações da Polónia com Bruxelas sobre esse plano de recuperação pós-covid-19, num valor total de 35 mil milhões de euros, foram concluídas a 13 de maio, seguindo-se-lhe a respetiva aprovação formal pela Comissão Europeia.

O plano de recuperação pós-covid-19 polaco foi bloqueado por Bruxelas devido a conflitos em torno do estado da Justiça na Polónia e, em particular, a existência da Câmara Disciplinar do Supremo Tribunal, uma instância acusada pela União Europeia de minar a independência dos juízes.

A 13 de maio, a Comissão Europeia sublinhou, numa mensagem publicada na rede social Twitter, que "o plano polaco deveria incluir compromissos para: desmantelar a Câmara Disciplinar, reformar o regime disciplinar e reintegrar os juízes ilegalmente demitidos".

A Polónia, liderada pelo partido populista-nacionalista PiS, e Bruxelas, estão há anos em desacordo em várias matérias, não respeitando Varsóvia as decisões da justiça europeia.

O país foi condenado a sanções financeiras diárias por ter, em julho, ignorado uma ordem do Tribunal de Justiça da UE para pôr fim à atividade daquela câmara disciplinar.

Varsóvia também foi financeiramente sancionada por não ter respeitado uma decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) sobre o encerramento de uma mina de carvão.

[Notícia atualizada às 21h11]

Leia Também: Polónia conclui em junho muro fronteiriço com Bielorrússia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório