Meteorologia

  • 16 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 26º

Rússia estende ano letivo a Mariupol para introduzir "currículo russo"

As novas autoridades russas estabelecidas na cidade ucraniana de Mariupol decidiram estender o atual ano letivo nos próximos meses para submeter os alunos ucranianos a um novo "currículo russo", disse hoje um conselheiro do poder local.

Rússia estende ano letivo a Mariupol para introduzir "currículo russo"
Notícias ao Minuto

09:05 - 26/05/22 por Lusa

Mundo Ucrânia

As novas autoridades russas estabelecidas na cidade ucraniana de Mariupol decidiram estender a este território o ano letivo para submeter os alunos ucranianos a um novo "currículo russo

Mariupol está sob domínio militar da Rússia, que invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro.

Petro Andriushchenko, conselheiro do autarca ucraniano desta cidade costeira do sul da Ucrânia, fez o alerta hoje na rede social Telegram, garantindo que os "inimigos russos" estão a tentar "desucranizar" as crianças do país.

"Os ocupantes anunciaram a extensão do ano letivo até 01 de setembro. Não há férias. O seu principal objetivo é 'desucranizar' as crianças em idade escolar e prepará-las para o currículo russo que terão que assumir no próximo ano letivo", disse o conselheiro municipal.

Durante todo o verão, as crianças terão que estudar língua, literatura, história e matemática em russo, explicou.

"Os ocupantes planeiam abrir nove escolas. No entanto, até agora, só conseguiram encontrar 53 professores. O que significa seis professores por escola - esta é uma boa ilustração da educação russa em Mariupol sob ocupação da Rússia", afirmou Andriushchenko.

O Exército russo implanta as suas administrações e sistemas de organização nas regiões ucranianas que ocupa desde que a invasão da Ucrânia começou em 24 de fevereiro, segundo as autoridades de Kyiv.

Mariupol, na costa do Mar de Azov, foi a última cidade importante a ser conquistada militarmente pelos russos após um longo cerco que deixou a cidade praticamente destruída e a sua população esgotada, mergulhada numa grave crise humanitária.

Apesar de terem perdido o controlo da cidade, alguns ex-políticos e funcionários de Mariupol, como Andriushchenko, continuam a escrever mensagens em suas redes para relatar a situação na cidade.

Leia Também: Russos bombardearam mais de 40 cidades no Donbass

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório