Meteorologia

  • 19 MAIO 2022
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 29º

Camarões. Violência deixa cerca de 700.000 crianças sem acesso à educação

Violência nas regiões anglófonas dos Camarões, devido a um conflito separatista, forçou o encerramento de escolas, o que deixou cerca de 700.000 crianças sem acesso à educação, informou hoje o Conselho Norueguês para os Refugiados (NRC).

Camarões. Violência deixa cerca de 700.000 crianças sem acesso à educação

Estes números, do Gabinete para os Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA), são mais um lembrete de que "os Camarões são uma das crises mais negligenciadas do mundo", declarou o NRC.

"As crianças aqui arriscam as suas vidas todos os dias simplesmente por irem à escola. A emergência educacional dos Camarões precisa de atenção internacional, não de um silêncio mortal do mundo exterior", afirmou o chefe da organização humanitária, Jan Egeland, que está de visita ao país.

Segundo o OCHA, duas em cada três escolas estão fechadas nas regiões noroeste e sudoeste, o foco do conflito separatista anglófono, que tem vindo a afetar o país desde 2017.

Em 24 de novembro, por exemplo, quatro crianças e um professor foram mortos num ataque em Ekondo Titi, na região do sudoeste.

Na região noroeste, um encerramento recente imposto por um grupo armado, de 15 de setembro a 2 de outubro, limitou o acesso aos serviços básicos, incluindo a saúde e a educação.

Durante esse período, o OCHA relatou mesmo uma série de ataques no noroeste, incluindo o rapto de oito estudantes e cinco diretores de escolas públicas, um dos quais foi morto.

"Até que a comunidade internacional intensifique o seu apoio e empenhamento diplomático, as crianças continuarão a suportar o peso da violência", advertiu Egeland.

Os ataques às escolas nas regiões noroeste e sudoeste têm sido recorrentes desde 2017, depois de grupos armados que reivindicavam a independência das áreas maioritárias anglófonas (20% dos Camarões), a que chamam Ambazonia, se terem juntado ao conflito.

Os Camarões foram uma colónia britânica e francesa até 1960, quando ganharam a independência de ambas as potências e estabeleceram um estado federal que durou até um referendo, em 1972, que deu luz verde para a unificação. 

Desde então, o inglês e o francês têm sido línguas co-oficiais e coexistem ao lado de 250 outras línguas nativas.

No entanto, em outubro de 2017, protestos pacíficos de professores e funcionários da justiça para apelarem ao uso do inglês nos tribunais e escolas foram severamente reprimidos pelas forças de segurança, levando ao surgimento de grupos separatistas.

Desde então, mais de 180.000 pessoas foram deslocadas pela violência e operações dos militares camaroneses contra grupos separatistas armados, que organizações como a Amnistia Internacional acusam de matar civis e arrasar aldeias.

Leia Também: Homem detido por violência doméstica atropelou o namorado

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2022 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório