Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Rússia regista novo máximo de contaminações em 24 horas

A Rússia registou hoje um novo máximo de contaminações de covid-19, que reflete a força da nova vaga da pandemia que está a afetar o país obrigando a autarquia de Moscovo a encerrar os serviços não essenciais.

Rússia regista novo máximo de contaminações em 24 horas
Notícias ao Minuto

12:42 - 28/10/21 por Lusa

Mundo Covid-19

De acordo com o balanço governamental morreram mais 1.159 pessoas, vítimas de SARS CoV-2, registando-se 40.096 novas infeções nas últimas 24 horas. 

Face ao agravamento da situação sanitária, a cidade de Moscovo ordenou o encerramento de todos os restaurantes, escolas, salões de beleza, lojas de vestuário, ginásios e outros serviços considerados "não essenciais".

A medida vai manter-se em vigor, pelo menos, até ao próximo dia 07 de novembro.

Apenas os locais de venda de medicamentos, produtos alimentares e de primeira necessidade estão autorizados a manter-se em funcionamento, de acordo com as medidas anunciadas por Serguei Sobianine, presidente da autarquia de Moscovo, a cidade mais afetada pela pandemia de covid-19. 

De acordo com o relato da France Presse, as ruas de Moscovo apresentavam-se "calmas" durante o início da manhã mas neste momento verificam-se congestionamentos de trânsito e uma utilização elevada da rede de metropolitano por parte dos cidadãos da capital. 

A nova vaga está relacionada, segundo os especialistas, com a variante delta do novo coronavírus, mais contagiosa, assim como a falta de cuidados no uso da máscara de proteção facial e de medidas de distanciamento social, nomeadamente nos transportes públicos e nos estabelecimentos comerciais.  

Por outro lado, o agravamento da situação também se fica a dever aos baixos números da taxa de vacinação entre a população russa.

Na semana passada, o presidente Vladimir Putin decretou um período de férias - a nível nacional - entre os dias 30 de outubro e 07 de novembro como medida para contrariar a mobilidade numa tentativa de travar a gravidade da situação sanitária.

Mesmo assim, não se trata de um confinamento obrigatório e muitas pessoas estão a aproveitar este período para se deslocarem para o estrangeiro ou para viajarem internamente. 

O autarca de Sotchi, estação balnear no Mar Negro, espera a chegada de 100 mil visitantes.

Os portais das agências de viagens registam um aumento da venda de bilhetes de avião para a Turquia e para o Egito.

Na quarta-feira, o Kremlin expressou preocupação sobre as "consequências epidemiológicas" mas afirmou que as viagens "não estão proibidas".

Outro destino popular que deve registar um aumento do número de de turistas é a Crimeia que não implementou as restrições 30 de outubro a 07 de novembro.

São Petersburgo, a segunda cidade do país decidiu encerrar a maior parte dos locais públicos e proibiu os eventos culturais e desportivos. 

A pandemia de covid-19 matou, até hoje, pelo menos 4.969.926 pessoas em todo o mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um balanço realizado pela agência de notícias francesa AFP com base em fontes oficiais.

No total, 244.943.060 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Leia Também: AO MINUTO: Pais já podem entrar nas creches; Rússia com novo recorde

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório