Meteorologia

  • 25 JUNHO 2022
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 23º

Detido precisa de testemunhas para provar que se manifestou pacificamente

Manuel Diaz, preso há 12 dias em Cuba, precisa de três pessoas para testemunhar que se manifestou pacificamente a 11 de julho, durante uma mobilização social sem precedentes na ilha, para aguardar julgamento em liberdade.

Detido precisa de testemunhas para provar que se manifestou pacificamente
Notícias ao Minuto

00:54 - 24/07/21 por Lusa

Mundo Cuba

Este pasteleiro de 59 anos, que se manifestou em Bauta, 25 quilómetros a sudoeste de Havana, é um dos cubanos presos entre os milhares de manifestantes que foram para as ruas gritar "Abaixo a ditadura" e "Temos fome".

Os detidos estão acusados de desacatos, desordem pública, atos de vandalismo ou propagação da covid-19 por se terem manifestado sem máscara, numa altura em que a propagação da doença está a aumentar.

"Ainda ninguém quis testemunhar e o Manuel continua em prisão preventiva acusado de desordem pública. Ele está na prisão de Caimito e nós estamos desesperados", referiu à AFP o seu irmão Roberto, desde Miami

Mais de 10 dias após o protesto, o Governo ainda não divulgou o número oficial de presos.

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, pediu a libertação imediata de "todos os presos por exercerem seus direitos".

Segundo uma lista divulgada na rede social Twitter por grupos de oposição, como o coletivo de artistas 27N, e meios de comunicação independentes, como o "Periodismo de Barrio", mais de 600 pessoas foram presas.

O chefe da diplomacia cubana, Bruno Rodriguez, disse que a maioria dos detidos foram libertados, depois de "multados ou colocados em prisão domiciliária", negando a existência de menores entre os presos.

Além disso, garantiu que não desapareceu nenhum detido.

No grupo da rede social Facebook "Desaparecidos #SOSCuba", Roberto, cuja mãe de 92 anos também mora em Cuba, explicou que para que o seu irmão apareça em liberdade no tribunal precisa, segundo o seu advogado, de "duas ou três testemunhas" que atestem que ele "se manifestou pacificamente e garantiu que as pessoas não recorressem à violência".

"Isso ajudaria a libertá-lo sob fiança, ficasse ele em prisão domiciliária ou em liberdade", referiu, implorando por ajuda.

Leia Também: EUA impõem sanções a ministro cubano por repressão das manifestações

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório