Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

Irão acusa Israel de ataque a uma instalação nuclear em junho

O Irão acusou hoje Israel de um ataque de sabotagem em junho que teria como alvo uma instalação nuclear civil perto de Teerão, informou a agência de notícias oficial IRNA.

Irão acusa Israel de ataque a uma instalação nuclear em junho
Notícias ao Minuto

13:59 - 06/07/21 por Lusa

Mundo Irão

Ali Rabii, porta-voz do Governo, indicou que o alegado ataque visava impedir as negociações em curso em Viena para salvar o acordo nuclear do Irão com as grandes potências (Estados Unidos, que se retiraram unilateralmente do acordo em 2018, Reino Unido, China, França, Alemanha e Rússia).

"O regime sionista realizou esta ação para indicar que pode parar o Irão e dizer que não há necessidade de falar com o Irão", disse Rabii.

"Mas sempre que houve uma sabotagem a nossa força aumentou", acrescentou, segundo a IRNA.

O Irão não deu muitos pormenores sobre o ataque, que disse ter tido como alvo um centro nuclear em Karaj, uma cidade a cerca de 40 quilómetros a noroeste de Teerão.

Em 23 de junho, a televisão estatal disse que as autoridades do Irão tinham frustrado nesse dia uma operação de "sabotagem" contra um dos edifícios da Organização Iraniana de Energia Atómica (OIEA).

O incidente em Karaj ocorreu depois de vários ataques suspeitos de sabotagem contra o programa nuclear do Irão.

Em abril, uma fábrica de enriquecimento de urânio em Natanz sofreu um apagão que danificou centenas de centrifugadoras, pelo qual o Irão responsabilizou Israel.

Em resposta, o Irão começou a enriquecer urânio a 60%, nível próximo do necessário para produzir uma bomba atómica e apesar do acordo nuclear de 2015 só permitir à República Islâmica um enriquecimento a 3,67%.

Assinado entre o Irão e os 5+1 (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança - Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia, China - mais a Alemanha), o pacto visava evitar que Teerão obtivesse a arma atómica em troca de um levantamento de sanções.

Em 2018, os Estados Unidos denunciam o acordo e restabelecem duras sanções e no ano seguinte o Irão começa gradualmente a deixar de respeitar os seus compromissos relativos ao pacto.

As negociações em Viena visam para salvar o acordo internacional, com o regresso dos Estados Unidos ao pacto e do Irão ao cumprimento das suas obrigações.

Leia Também: Única central nuclear do Irão retoma atividades após 2 semanas de paragem

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório