Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 17º

Edição

PM do Mali demite-se e é convidado a formar novo executivo

O primeiro-ministro do Mali demitiu-se hoje do seu Governo e foi convidado a formar um novo gabinete de "base ampla", no meio de um clima social em deterioração e menos de um ano antes de eleições, segundo a presidência.

PM do Mali demite-se e é convidado a formar novo executivo
Notícias ao Minuto

18:04 - 14/05/21 por Lusa

Mundo Moctar Ouane

O primeiro-ministro Moctar Ouane, um antigo diplomata que dirige o Governo de transição criado em finais de setembro, após o golpe de agosto, apresentou a demissão da sua equipa ao Presidente de transição, Bah Ndaw, um coronel reformado, e na manhã seguinte foi imediatamente reconduzido, disse a presidência na plataforma social Twitter.

"Os intercâmbios entre o Presidente e o primeiro-ministro começaram quinta-feira à noite, numa possível abertura do Governo", disse um conselheiro do Presidente, citado pela agência France-Presse, sob condição de anonimato.

Moctar Ouane "deve formar um Governo de base ampla, tendo em conta algumas das recomendações do Presidente, que ouviu a classe política, as forças ativas e os líderes religiosos na semana passada", acrescentou.

"O primeiro-ministro acaba de iniciar consultas para a formação da nova equipa governamental", confirmou uma fonte próxima do primeiro-ministro, que também solicitou o anonimato.

Os militares que derrubaram o Presidente Ibrahim Boubacar Keita, em 18 de agosto de 2020, e que continuam a dominar as autoridades de transição instaladas em setembro e outubro, comprometeram-se a devolver o poder aos civis eleitos após 18 meses.

Acaba de ser anunciado um calendário eleitoral, com uma primeira volta das eleições presidenciais e parlamentares em 27 de fevereiro de 2022, bem como um referendo constitucional em 31 de outubro.

No entanto, persistem dúvidas quanto à sua capacidade de cumprir, especialmente num contexto em que a violência 'jihadista' e outras formas de violência continuam sem cessar, surgem novamente dissidências políticas e crescem sinais de descontentamento social.

O Movimento 05 de Junho, um coletivo que encabeçou meses de protestos em 2020, que terminaram num golpe, apelou na semana passada à "dissolução" do Governo de transição e à "revisão" de um importante acordo de paz com alguns grupos armados.

O maior sindicato do país (UNTM), notificou uma greve de quatro dias com início na próxima segunda-feira, que pode ser renovada.

O mediador dos Estados da África Ocidental no Mali, o ex-presidente nigeriano Goodluck Jonathan, disse quarta-feira em Bamako que as autoridades podem ter de estabelecer prioridades, dado o pouco tempo que resta para completar a transição.

Jonathan convidou todos os atores a trabalhar "de mãos dadas". Num momento tão delicado, "o que deve prevalecer são os melhores interesses do Mali", e não a adoção de "posições extremas", frisou.

Leia Também: Incentivo à normalização e apoio às microempresas. Regras em vigor amanhã

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório