Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2020
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

China exige aos EUA que parem com "palavras e ações erradas"

O ministro da Defesa chinês, Wei Fenghe, exigiu hoje que os Estados Unidos parem com as suas "palavras e ações erradas", durante um telefonema com o seu homólogo norte-americano, Mark Esper, disse a agência noticiosa Nova China.

China exige aos EUA que parem com "palavras e ações erradas"
Notícias ao Minuto

21:50 - 06/08/20 por Lusa

Mundo Covid-19

Os Estados Unidos e a China estão numa escalada de tensão e o telefonema de hoje entre Wei e Esper foi uma das poucas conversas diretas entre altos funcionários dos dois governos, desde o início da pandemia de covid-19, que tem sido alvo de profundas divergências políticas.

De acordo com um comunicado do ministro da Defesa chinês, citado pela agência Nova China, Wei Fenghe "exigiu que os Estados Unidos terminem as suas palavras e atos errados".

Em resposta, Mark Esper expressou preocupação com as atividades desestabilizadoras da China na zona marítima próxima de Taiwan, no mar da China Meridional, de acordo com Jonathan Hoffman, porta-voz do Pentágono.

Durante o telefonema, que durou uma hora e meia, o tema de Taiwan foi central na conversa entre os dois altos responsáveis, na véspera de uma visita do secretário de Saúde norte-americano, Alex Azar, a este território, que deverá acontecer em breve.

A visita de Azar está a ser lida como uma provocação por Pequim, que invoca Taiwan como parte do território chinês e se opõe a qualquer ligação entre as autoridades da ilha e governos estrangeiros.

Na quinta-feira passada, Wang Wenbin, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, tinha prometido uma "retaliação firme e vigorosa" à visita do secretário da Saúde dos EUA a Taiwan.

O chefe do Pentágono aproveitou a conversa com Wei para transmitir a necessidade de "a China respeitar as leis, regras e padrões internacionais, cumprindo os seus compromissos", de acordo com o relato de Hoffman.

Esper, que anunciou a sua intenção de visitar a China até ao final deste ano, também lembrou a necessidade de se estabelecerem "relações de Defesa construtivas, estáveis e produtivas, entre os Estados Unidos e a China", segundo o porta-voz do Pentágono.

Ainda não foi marcada uma data para esta viagem de Esper, que será a primeira de um secretário de Defesa desde a visita de Jim Mattis a Pequim, em junho de 2018.

De acordo com o comunicado do Ministério da Defesa da China, Wei Fenghe também pediu a Washington que "reforce a sua gestão de riscos no mar e evite tomar iniciativas perigosas que possam causar uma escalada de tensões e mantenha a paz e a estabilidade regionais".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório