Meteorologia

  • 08 ABRIL 2020
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 20º

Edição

Ex-ministro do Ambiente alemão apresenta candidatura à liderança da CDU

O ex-ministro do Ambiente da Alemanha e presidente da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros Norbert Röttgen anunciou hoje oficialmente a candidatura à liderança da União Democrata-Cristã (CDU), o partido da chanceler Angela Merkel.

Ex-ministro do Ambiente alemão apresenta candidatura à liderança da CDU
Notícias ao Minuto

16:00 - 18/02/20 por Lusa

Mundo Alemanha

A líder da CDU, Annegret Kramp-Karrenbauer, anunciou na semana passada que se demitia da liderança e que não seria candidata a chanceler nas eleições federais previstas para outubro de 2021.

Norbert Röttgen, 54 anos, é o primeiro a anunciar uma candidatura.

Outros nomes são apontados como potenciais aspirantes à liderança dos conservadores: o ex-líder do grupo parlamentar da CDU Friedrich Merz, o chefe do governo regional da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, e o ministro da Saúde, Jens Spahn.

Não foi ainda decidido quando vai ser escolhido o sucessor de Kramp-Karrenbauer, AKK como é conhecida, que manifestou a intenção de ouvir os potenciais candidatos à liderança para definir uma candidatura que seria submetida a ratificação pelo congresso da CDU previsto para dezembro.

O processo de designação do candidato a líder do partido deve ficar definido numa reunião da direção do partido prevista para a próxima segunda-feira, 24 de fevereiro, sendo provável que o plano de AKK seja rejeitado.

Röttgen defendeu hoje a necessidade de o líder do partido ser escolhido num congresso extraordinário antes do verão, para permitir definir até ao final do ano o candidato a chanceler.

Em linha com o que defende AKK, Röttgen afirmou que o partido deve eleger primeiro o seu líder, que "tem direito a aceder em primeiro lugar à candidatura a chanceler", e depois negociar com o partido "irmão", a União Social-Cristã (CSU).

Contrariando membros do partido que defendem que os três potenciais candidatos deviam chegar a um nome entre eles para evitar uma prolongada disputa pela liderança, Röttgen defendeu que a corrida não deve reduzir-se a "três aspirantes ficarem de alguma forma satisfeitos e depois haver paz", mas ser sobre "um posicionamento estratégico e substancial da CDU".

Röttgen foi afastado por Merkel do Ministério do Ambiente em 2012 depois de ter conduzido a CDU a uma derrota eleitoral na Renânia do Norte-Vestfália, o estado mais populoso da Alemanha, no final de uma campanha marcada por gafes.

O candidato disse que aprendeu com essa derrota e que propõe uma CDU centrista, que "recupere credibilidade ambiental em geral e credibilidade nas políticas ambientais em particular", caso contrária, "o partido arrisca-se a perder toda uma geração".

"A CDU é o partido do centro", disse, frisando que o partido deve traçar uma fronteira clara entre a direita mais radical e a esquerda.

Annegret Kramp-Karrenbauer, 57 anos, que sucedeu a Angela Merkel na liderança do partido em dezembro de 2018, anunciou a demissão na semana passada, depois de a CDU do estado da Turíngia (leste) ter desafiado instruções explícitas e rompido o "cordão sanitário" contra a extrema-direita, aceitando colaborar com a Alternativa para a Alemanha (AfD) para eleger um liberal para a chefia do governo regional.

Angela Merkel, 65 anos, desde 2005 na chefia do governo alemão, anunciou em 2018 que não se recandidata ao cargo nas próximas eleições federais, previstas para outubro de 2021.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório