Meteorologia

  • 26 FEVEREIRO 2020
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Segundo helicóptero do regime abatido esta semana na Síria

Um helicóptero do exército sírio foi abatido hoje no noroeste da Síria e os seus dois pilotos morreram, indicou uma ONG, sobre o segundo acidente do género esta semana, num contexto de tensão crescente entre Ancara e Damasco.

Segundo helicóptero do regime abatido esta semana na Síria
Notícias ao Minuto

14:45 - 14/02/20 por Lusa

Mundo Síria

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) disse que o helicóptero foi atingido por um míssil das forças turcas na província de Alepo.

"Os corpos dos dois pilotos foram encontrados", declarou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, à agência France-Presse.

Ancara não comentou o incidente no imediato.

Na terça-feira, o OSDH divulgou o abate de um primeiro helicóptero do regime de Bashar al-Assad no noroeste do país em guerra, que também provocou a morte de dois pilotos. A ONG indicou que o aparelho tinha sido atingido por um míssil das forças turcas.

Neste caso, as autoridades da Turquia divulgaram a "queda" de um "helicóptero" do regime sírio, mas não reivindicaram qualquer responsabilidade no incidente.

Na semana passada, oito militares turcos foram mortos durante ataques do regime de Damasco na província de Idlib, o último bastião insurgente na Síria, controlado por 'jihadistas' e grupos rebeldes, alguns dos quais apoiados por Ancara.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, tem ameaçado Assad com uma resposta firme de Ancara, se o regime sírio não recuar no noroeste, mas as forças pró-governamentais têm vindo a progredir em Idlib e os turcos reforçaram as suas tropas.

Os militares turcos estão destacados em algumas áreas dos insurgentes com postos de observação criados para vigiar um cessar-fogo anterior que já não está em vigor.

As forças sírias, com o apoio da aviação russa, intensificaram em dezembro a operação pelo controlo de Idlib e já recuperaram dezenas de localidades, obrigando à fuga de meio milhão de pessoas, segundo a ONU.

Ancara teme uma nova vaga migratória para a Turquia, país que já acolhe mais de 3,5 milhões de refugiados sírios.

Segundo as estimativas da ONU, a ofensiva militar das forças de Damasco nesta região, desde abril de 2019 até meados de janeiro, matou mais de 1.500 civis, incluindo várias centenas de mulheres e menores.

Desencadeada em 2011, a guerra na Síria já causou mais de 380.000 mortos e milhões de deslocados e refugiados.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório