Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Realizados 1.739 protestos em outubro na Venezuela

Os venezuelanos fizeram 1.739 protestos em outubro, uma média de 56 por dia, segundo dados divulgados hoje pelo Observatório Venezuelano de Conflitos Sociais (OVCS).

Realizados 1.739 protestos em outubro na Venezuela
Notícias ao Minuto

23:08 - 14/11/19 por Lusa

Mundo Manifestações

Os dados fazem parte de um relatório e representam um aumento com relação ao mesmo mês do ano passado, quando se registaram 1.418 protestos.

Segundo o OVCS, 1.574 protestos (91%) tiveram como propósito a exigência de direitos económicos, sociais, culturais e ambientais, relacionados com o mercado laboral, serviços públicos de qualidade, educação, saúde e alimentação, áreas em que há maiores insatisfações da população.

Os restantes 165 (9%) pretenderam reclamar direitos civis e políticos, tanto de opositores como de simpatizantes do regime do Presidente do país, Nicolás Maduro.

Anzoátegui foi o estado venezuelano com mais protestos em outubro, com 148 dos 1.739 registados no país, seguindo-se Bolívar (130), Mérida (114), Miranda (105), Trujillo (101) e o Distrito Capital (97).

O OVCS adianta que a falta de resposta das autoridades tem motivado os manifestantes a exercer novas ações para conseguir as suas preocupações e exigências.

Por outro lado, os trabalhadores queixam-se da crise económica e de um ambiente em que o aparelho produtivo está cada vez mais reduzido, além de que se agrava o défice em serviços básicos, como água potável, eletricidade, gás, combustível e transportes públicos.

Os profissionais de saúde saíram às ruas para denunciar uma "emergência humanitária complexa" no setor, que atribuem "à incompetência governamental na resposta às necessidades e exigências".

Os métodos de protesto usados pelos venezuelanos em outubro incluíram greve (856), concentrações (508), exibição de grandes cartazes (249), bloqueio de estradas ou avenidas (195) e marchas (102).

As reivindicações incluíram, também, os docentes, que querem salários decentes e melhorias na infraestrutura física de escolas, básicas, secundárias e universidades, assim como programas de alimentação e garantia de serviços de transporte.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório