Meteorologia

  • 14 OUTUBRO 2019
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

Reservas de mantimentos no 'Ocean Viking' estão a chegar ao fim

As reservas de mantimentos para os 356 ocupantes do navio 'Ocean Viking' só são suficientes para quatro dias, alertou hoje a organização Médicos Sem Fronteiras frisando que o navio está há 19 dias no Mediterrâneo.

Reservas de mantimentos no 'Ocean Viking' estão a chegar ao fim

"Só nos restam mantimentos para quatro dias, contando com o dia de hoje" disse um porta-voz dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) que se encontra a bordo do navio.

O 'Ocean Viking', fretado pelas organizações SOS Méditerranée e MSF, está neste momento em águas internacionais entre Malta e o porto italiano de Lampedusa onde aguarda autorização para desembarcar os migrantes resgatados.

As pessoas que foram resgatadas no Mediterrâneo, ao largo da Líbia, pelo navio 'Ocean Viking' encontram-se desidratadas sendo que estiveram quatro dias à deriva numa embarcação precária antes de terem sido salvas pelas organizações humanitárias.

Entre eles encontram-se quatro mulheres e cinco crianças, com idades entre um ano e os seis anos de idade.

Uma grande parte, cerca de uma centena, dos migrantes a bordo têm menos de 18 anos de idade e são originários sobretudo do Sudão.

Os Médicos Sem Fronteiras têm garantido até ao momento uma refeição quente por dia e distribuiu açúcar e barras energéticas.

O consumo de água está racionado e os banhos a bordo foram limitados a dois duches por semana com uma duração de três minutos cada, para não se esgotarem os reservatórios de água doce.

O navio de 69 metros, com pavilhão norueguês, está também a economizar combustível e, por isso, mantém-se à deriva durante o dia, no Canal da Sicília.

O "Ocean Viking" partiu no dia 4 de agosto do porto de Marselha, França, para a primeira missão no Mediterrâneo.

Portugal anunciou na quinta-feira que está disponível para acolher até 35 refugiados do total de 356 resgatados pelo navio humanitário.

Através de um comunicado conjunto, os Ministérios da Administração Interna e dos Negócios Estrangeiros explicaram que a disponibilidade manifestada por Lisboa surge em resposta a um apelo da Comissão Europeia.

"Portugal, França, Alemanha, Roménia e Luxemburgo são os países que manifestaram até agora disponibilidade para receber algumas das pessoas deste grupo, num gesto de solidariedade humanitária e de desejo comum de fornecer soluções europeias para a questão da migração e das tragédias humanas que se verificam no Mediterrâneo", referem os ministérios no comunicado.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório