Meteorologia

  • 19 FEVEREIRO 2019
Tempo
MIN 9º MÁX 10º

Edição

Leopardo negro fotografado em África pela primeira vez em 100 anos

Ao longo dos anos surgiram relatos de avistamentos deste raro animal no continente africano, mas desde 1909 que a sua presença não era confirmada.

Leopardo negro fotografado em África pela primeira vez em 100 anos
Notícias ao Minuto

09:51 - 13/02/19 por Fábio Nunes 

Mundo Quénia

Uma equipa do jardim zoológico de San Diego, nos Estados Unidos, captou uma rara imagem de um leopardo negro – também conhecido como pantera negra – no Quénia, em África. A CNN adianta que esta foi a primeira vez em cerca de 100 anos que o felídeo foi captado para a posteridade e que a sua presença no continente africano foi confirmada.

A última vez que tinha sido confirmada a observação de um leopardo negro em África aconteceu em 1909 na Etiópia. Desde então acumularam-se os relatos de avistamentos mas apenas isso.

Nick Pilfold, cientista do zoo de San Diego, refere que captaram a imagem do leopardo negro por mera sorte. A equipa colocou várias câmaras na selva para registar a população de leopardos perto do Loisaba Conservancy, em Laikipia, no ano passado. Foi nessa altura que ouviram os relatos de avistamentos de um leopardo negro.

“Intensificámos a instalação de câmaras nas áreas referidas nos relatos. Em poucos meses fomos recompensados com múltiplas observações”, conta Nick Pilford, que lembra que a maioria destes animais vive no sudeste asiático.

A confirmação da observação deste leopardo fêmea foi publicada no African Journal of Ecology.

Cerca de 11% dos leopardos têm melanismo, uma mutação genética que resulta num excesso de produção de pigmentos. No caso dos leopardos negros verifica-se um fenómeno oposto ao albinismo, exibindo uma coloração negra.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório