Meteorologia

  • 16 JUNHO 2019
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 21º

Edição

Sayoc confirmado como autor. Incorre em pena de até 58 anos de prisão

Cesar Sayoc, de 56 anos de idade, foi esta sexta-feira detido com relação ao caso dos pacotes suspeitos. Polícia federal norte-americana indicou que suspeito foi acusado de cinco crimes federais.

Sayoc confirmado como autor. Incorre em pena de até 58 anos de prisão

A polícia federal norte-americana (FBI) confirmou através de conferência de imprensa que pelo menos 13 explosivos analisados por aquela força foram autenticados e que um deles, aquele que foi enviado para a congressista Maxine Waters, tinha uma impressão digital que se confirmou pertencer a Cesar Altieri Sayoc, de 56 anos de idade.

O FBI esclarece que poderão existir outros envelopes armadilhados em trânsito.

Christopher A. Wray, diretor do FBI, deu indicação de que acreditam não haver outros suspeitos mas deixa essa opção em aberto. "Acreditamos que apanhámos o responsável, mas temos consciência de que esta é uma investigação ainda a decorrer", indicou.

O procurador-geral dos Estados Unidos, indicou, nas declarações de abertura da conferência de imprensa, que Cesar Sayoc está acusado de cinco crimes federais, entre os quais ameaças a dois antigos presidentes dos Estados Unidos, e incorre numa pena que pode chegar aos 58 anos de prisão.

"Não vamos tolerar tamanha anarquia, em especial violência política", indicou Jeff Sessions.

Os cinco crimes federais de que Cesar Sayoc está acusado são: transporte de explosivos entre estados, envio ilegal de explosivos por correspondência, ameaças a antigos presidentes e outros, ameaça em comunicações interestaduais e agressão a agentes de autoridade federal.

"Vai ser pior que o 11 de Setembro". O registo criminal de Cesar Sayoc

Só existe, nesta altura, um detido resultante da investigação ao caso dos pacotes com engenhos potencialmente explosivos, que foi identificado como sendo Cesar Sayoc, de 56 anos de idade.

Natural de Aventura, na Flórida, e funcionário de uma loja de reparação de automóveis, foi detido esta sexta-feira de manhã em Plantation, no mesmo estado norte-americano, depois da polícia ter identificado positivamente ADN seu em pelo menos um dos envelopes armadilhados, segundo indicaram fontes policiais à CNN.

Os meios de comunicação norte-americanos foram, entretanto, reunindo outras informações sobre o suspeito. Um dos factos que salta mais à vista, dado que todos os alvos estavam ligados ao partido democrata e/ou eram críticos da administração Trump, é o facto de Sayoc estar registado no partido republicano, confirmou Sarah Revell, uma porta-voz do departamento de estado da Flórida.

O detido também tem extensos antecedentes criminais. De acordo com um relatório policial obtido pela CNN, relativo a 2002, Sayoc ameaçou fazer explodir uma empresa e chegou a dizer que seria “pior que o 11 de Setembro”.

Nesta altura, foi acusado de ameaça para fazer explodir engenho explosivo. Sayoc declarou-se culpado e foi condenado a um ano em liberdade condicional, o equivalente a pena suspensa. O seu registo criminal, no entanto, dá conta de oito detenções, incluindo roubo, agressão, fraude, posse de droga e violação de liberdade condicional.

A polícia federal rebocou, esta sexta-feira de manhã, no local da detenção de Sayoc, uma carrinha branca, transportando-a para a sede da polícia federal em Miramar. O veículo tinha vários autocolantes referentes a Donald Trump, ao vice-presidente Mike Pence e um onde se lia “CNN Sucks” (“CNN não presta”).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório