Menor consumo de lacticínios está associado à menopausa precoce

O consumo de cálcio e vitamina D aos 40 anos está associado a um menor risco de ter menopausa nos anos seguintes.

© Visual Hunt
Lifestyle Saúde

Um recente estudo levado a cabo pela Escola de Saúde Pública e Ciências da Saúde da Universidade de Massachusetts Amherst, nos Estados Unidos, aponta o consumo de lacticínios – por serem ricos em vitamina D e cálcio – como uma das formas mais eficazes de prevenir a menopausa precoce.

PUB

De acordo com a Reuters, as mulheres que aos 40 anos têm um maior índice destes dois micronutrientes apresentam um menor risco de ter menopausa logo aos 45 anos, o que, por si só, já contribui para um menor risco de vários tipos de patologias associadas à menopausa precoce, como é o caso das doenças cardiovasculares, da osteoporose e do declínio cognitivo.

Diz o estudo – que analisou mais de cem mil enfermeiras norte-americanas ao longo de duas décadas - que a vitamina D é um dos nutrientes que mais contribui para o balanço hormonal, enquanto o cálcio contribui não só para uns ossos mais fortes, como também para uma boa saúde geral.

No que toca à vitamina D, ter os níveis adequados deste micronutriente equivale a um risco de menopausa precoce 17% menor, enquanto o cálcio representa uma redução do risco em 13%.

Seja por intolerância ou opção, quem não consome lacticínios pode sempre tentar obter vitamina D e cálcio por outras vias.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser