Meteorologia

  • 23 ABRIL 2024
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 24º

Ortodontista esclarece cinco mitos sobre a saúde gengival

Khaled Kasem, chefe ortodontista da Impress, em Portugal, explica tudo.

Ortodontista esclarece cinco mitos sobre a saúde gengival
Notícias ao Minuto

07:11 - 29/02/24 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Saúde oral

Muitos não sabem, ou simplesmente esquecem, mas a "gengiva desempenha um papel crucial como estrutura de suporte para os dentes, formando uma barreira protetora que impede a fácil penetração da placa bacteriana na camada óssea", explica Khaled Kasem, chefe ortodontista da Impress, em Portugal, em comunicado. 

É algo muito importante para a saúde e, por isso, o especialista esclareceu cinco mitos, assim como os seus fatores de risco, "essenciais para manter a saúde oral a longo prazo". 

Leia Também: Segundo um dentista, este é o passo mais importante para a saúde oral

1- Sangramento gengival na escovagem dos dentes é normal

"O sangramento gengival deve ser levado a sério e tratado de imediato, pois é um sintoma comum da doença das gengivas (ou gengivite)." Normalmente, "ocorre quando a placa bacteriana se acumula nos dentes e à volta da linha das gengivas, caracterizado por uma alteração da coloração natural da gengiva, o que causa inflamação, e que, em alguns casos, pode levar ao sangramento com edema.

Podem acontecer pequenas hemorragias devido "a escovagens excessivamente fortes ou à utilização de uma escova de dentes nova", mas "uma hemorragia persistente ou intensa não é normal e deve motivar uma ida ao dentista", explica. Muitas vezes, "a doença das gengivas avança silenciosamente e sem dor, sem causar desconforto aparente, até que danos significativos ocorram e se não for tratada a tempo, pode resultar em danos irreversíveis". 

2- Sangramento gengival é causado pelo fio dentário ou por uma escovagem agressiva

Explica ainda que "outra perceção comum é a ideia de que o sangramento é causado pelo uso do fio dentário. Na realidade, o fio dentário não danifica as gengivas; quando se sangra, é um sinal de inflamação e um pedido de socorro da gengiva para que o dente seja mais limpo. Portanto, e ao invés de evitar o uso do fio dentário, deve-se fazer o contrário: usar com mais frequência". 

Leia Também: Dentista indica a frequência com que devemos trocar a escova de dentes

3- Gengivite não é uma doença grave

Infelizmente, "a gengivite representa o primeiro estágio da periodontite, uma condição comum caracterizada pela acumulação de bactérias nos dentes e pela gradual destruição das estruturas de suporte, levando à inflamação dos tecidos. Os sintomas incluem gengivas inchadas ou sensíveis, sangramento durante a escovagem ou o uso do fio dentário, mau hálito e dentes soltos. Ocorre devido aos maus cuidados orais, alterações hormonais, como, por exemplo, na gestação ou menopausa ou ainda devido a certas doenças sistémicas, como diabetes ou HIV."

"Contrariamente à perceção comum, a gengivite é uma doença grave e o seu tratamento não deve ser negligenciado; fazê-lo, pode resultar em consequências sérias, como perda dentária, formação de abcessos, infeções, danos nos ossos e até  levar a outros problemas de saúde, como doenças cardíacas e diabetes." 

4- Não existem tratamentos eficazes para doenças gengivais

"Muitos, por falta de melhor conhecimento, acreditam no mito de que não existe um tratamento para as doenças relacionadas com a gengiva. Apesar de ser verdade que, após a primeira ocorrência, o paciente fica mais suscetível a futuras, o facto é que existem vários tratamentos eficazes disponíveis, dependendo da gravidade do caso. Para controlar a gengivite numa fase inicial, é fundamental fazer uma limpeza profissional com instrumentos frios ou ultrassónicos. Este procedimento elimina o tártaro fixado debaixo da linha gengival e suaviza irregularidades nas raízes dentárias, prevenindo acumulações futuras."

Leia Também: Pare de abrir garrafas e rasgar fita cola com os dentes. Eis os riscos

"Já o tratamento da periodontite consiste numa destartarização e uma raspagem minuciosa para remover os restos de comida debaixo da gengiva, ou o enxaguamento com clorexidina, um antissético químico com ação antifúngica que destrói as bactérias. Numa fase ainda mais avançada, tratamentos invasivos podem ser recomendados e antibióticos podem ser prescritos pelo dentista para reparar danos nas fases avançadas da doença gengival."

5- Bochechar substitui a escovagem 

Por último, "outro mito comum é a crença de que bochechar pode substituir a escovagem e é importante desmistificar estas ideias erradas.  Embora os bochechos possam ser úteis na eliminação de bactérias causadoras de cáries e gengivite, não são eficazes por si só. Apenas a manutenção de hábitos exemplares de higiene oral, incluindo a escovagem dos dentes duas vezes ao dia e a utilização regular do fio dentário, são capazes de desempenhar um papel significativo na prevenção do desenvolvimento de doenças gengivais."

Leia Também: Três coisas em comum entre cancro e saúde oral que deve saber

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório