Meteorologia

  • 04 FEVEREIRO 2023
Tempo
MIN 7º MÁX 18º

Sintomas de cancro da cabeça e pescoço que jamais deve ignorar

"É importante conhecer os fatores de risco a evitar e os possíveis sintomas que devem alertar e levar a uma consulta com um médico especialista. Prevenir é sempre melhor que remediar." Quem o diz é Eurico Monteiro, otorrinolaringologista no Hospital CUF Porto – Unidade de Cancro de Cabeça e Pescoço, num artigo partilhado com o Lifestyle ao Minuto.

Sintomas de cancro da cabeça e pescoço que jamais deve ignorar
Notícias ao Minuto

11:00 - 27/07/22 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Saúde

A maioria dos casos de tumores da cabeça e do pescoço têm origem nas superfícies mucosas  de diversas áreas destas regiões, como a boca, a garganta, a laringe e o nariz. Alguns destes  tumores podem também surgir nas glândulas salivares, nos ossos, nos músculos ou nos nervos,  mas são muito menos comuns do que os anteriores.  

Estes tumores representam cerca de 6% de todos os cancros e são duas vezes mais comuns  nos homens do que nas mulheres e, são em geral diagnosticados com mais frequência em  indivíduos com mais de 50 anos.  

Quais são os fatores de risco?

O uso em excesso de álcool e de tabaco são os dois fatores de risco mais importantes,  especialmente para os tumores da boca, da faringe e da laringe. A infecção pelo papilomavírus  humano é um fator de risco para o cancro da amígdala ou da base da língua.  Já a infecção pelo vírus Epstein-Barr é um fator de risco bem conhecido para o cancro da  nasofaringe.

Notícias ao Minuto Eurico Monteiro© CUF

A exposição ao pó de madeira, pó de níquel e outros produtos químicos, são fatores de  risco conhecidos para o cancro das cavidades anexas ao nariz, e a exposição ao amianto e a  fibras sintéticas tem sido associada ao cancro da laringe, incidência também partilhada com  indivíduos que trabalham na indústria metálica, têxtil e cerâmica.  Doenças e alguns distúrbios genéticos podem também aumentar o risco de desenvolver  tumores em idades mais precoces.  

Leia Também: Cancro da cabeça e pescoço. Sobreviventes podem deixar de falar ou comer

A que sintomas se deve estar atento?

Os sintomas são múltiplos e podem incluir um caroço no pescoço, uma ferida na boca ou na  garganta que não cicatriza e pode ser dolorosa, dificuldade em engolir ou, uma alteração na  voz. Outros sintomas podem ser uma mancha branca ou vermelha nas gengivas ou na língua,  um crescimento ou inchaço na mandíbula, dor e ou um sangramento incomum pela boca e ou  nariz . A presença ou persistência por mais de 15 dias de qualquer um destes sintomas deve  motivar a procura de um médico otorrinolaringologista.  

Que tratamentos existem?

O tratamento inclui cirurgia, radioterapia, quimioterapia e mais recentemente terapias  direcionadas e imunoterapia. O plano de tratamento depende da localização, da extensão da  doença, da idade e do estado geral do doente.  
O objetivo primário do tratamento é controlar a doença, mas é também preocupação dos  médicos preservar ao máximo as funções das áreas afetadas, ajudando assim os doentes a  retomar as atividades normais o mais rápido possível. Neste âmbito a reabilitação é uma parte  muito importante do processo e depende dos objetivos, da extensão da doença, dos  tratamentos efetuados e da colaboração do doente.  

A reabilitação pode incluir fisioterapia, aconselhamento dietético, terapia da fala para aprender  a cuidar do traqueostoma (incisão na garganta com orifício por onde se respira) ou para aprender a comunicar e deglutir. Alguns doentes podem beneficiar de cirurgia reconstrutiva para corrigir  defeitos ósseos ou de tecidos moles. Se a cirurgia reconstrutiva não for possível, podem ser  adaptadas próteses para restaurar a aparência estética, a mastigação e a fala. 

A importância do acompanhamento regular

O acompanhamento médico regular é muito importante após o tratamento, para diagnosticar  precocemente um tumor que recidiva ou metastiza, ou para detectar um segundo tumor  frequente em sobreviventes. Para além da observação da boca, nariz, garganta e pescoço  pode ser necessário fazer exames de sangue e de imagem para melhor avaliar e caracterizar  a situação.  
Mais vale prevenir que remediar: consulte regularmente o seu médico e esteja atento a  possíveis sinais de alerta. 

Leia Também: O fruto (muito docinho) que pode ajudar a prevenir casos de cancro

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório