Meteorologia

  • 20 ABRIL 2019
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 22º

Edição

Saiba como reconhecer os sintomas do 'vírus' do amor no corpo

Sim, apaixonar-se é uma questão de química. Literalmente.

Saiba como reconhecer os sintomas do 'vírus' do amor no corpo
Notícias ao Minuto

14:30 - 11/03/19 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Atração fatal

O ato de se apaixonar engloba uma série de reações corporais que os cientistas acreditam terem sido desenvolvidas para garantir a sobrevivência da espécie humana.

Tal como o aparecimento de uma doença, os sintomas físicos são claramente identificáveis: mãos suadas, perda de apetite, face enrubescida e batimento cardíaco acelerado.

O amor também tem estágios diferentes, cada um caraterizado por uma série de substâncias químicas que propiciam diferentes reações físicas.

Há a fase da luxúria, um desejo sexual básico, que pode progredir e se transformar num ‘apego’ ideal para a formação de relacionamentos duradouros.

"Pode sentir uma forte ligação com algum colega do trabalho ou no seu círculo social e aí, meses ou mesmo anos depois, as coisas mudam. De repente, apaixona-se por ele ou ela", explicou à BBC a investigadora Helen Fisher, da Rutgers University, em Nova Jérsia, nos Estados Unidos.

Em cada um desses estágios, cientistas identificaram grupos de substâncias químicas que atuam no corpo humano:

Estágio 1: Luxúria

A luxúria é ‘alimentada’ por duas hormonas: a testosterona e o estrogénio.

A testosterona, ao contrário do que se pensa, não é restrita aos homens, tendo igualmente um papel de destaque no desejo sexual feminino.

Estágio 2: Atração

É neste estágio que as pessoas apaixonadas não conseguem pensar noutra coisa ou pessoa... Podem até perder o apetite e dormir menos, preferindo passar horas sonhando acordadas com o seu novo interesse amoroso.

Tal ocorre devido a um grupo de enzimas neuro-transmissoras chamadas monoaminas. Mais precisamente:

Dopamina: Também ativada pela cocaína e pela nicotina, e que causa a sensação de euforia.

Norepinefrina: Conhecida também como adrenalina. Faz com que suemos e acelera os batimentos cardíacos.

Serotonina: Uma das mais importantes substâncias da ‘química do amor’, e pode fazer com que fiquemos temporariamente ‘loucos’.

Estágio 3: Apego

Este é o estágio que se instala após a atração, se um relacionamento durar. Se a atração durasse para sempre, nada mais que bebés seriam feitos num relacionamento.

O apego é um compromisso mais longo e este laço é que mantém os casais juntos.

Neste estágio, cientistas acreditam que duas hormonas libertadas pelo sistema nervoso têm papel na formação de laços.

Vasopressina: Outra importante substância química nos compromissos de longo termo. Pesquisas com ratos do deserto sugerem que a supressão de vasopressina em machos faz com que a ligação entre parceiros deteriore imediatamente, com a perda de devoção e a falha em proteger a parceira de novos pretendentes.

Oxitocina: Produzida pelo hipotálamo, uma glândula cerebral, e libertada tanto por homens e mulheres durante o orgasmo, a oxitocina ajuda a fortalecer ligações entre casais, segundo cientistas. A teoria é simples: quanto mais um o casal fizer sexo, mais forte é o seu elo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório