"Viver a dois é um desafio constante porque o outro mora em nossa casa"

Carolina Deslandes usou as redes sociais para falar sobre o seu amor.

© Instagram_carolinadeslandes
Fama Redes Sociais

A vida de Carolina Deslandes mudou desde que constituiu família ao lado de Diogo Clemente, com quem tem um filho, Santiago.

PUB

A artista não podia estar mais feliz com a sua relação e usou as redes sociais para falar sobre o seu compromisso amoroso.

"Criar uma família com alguém é muito diferente de namorar. (E atenção que namorar é maravilhoso!) É um compromisso diário, é um promessa de dedos mindinhos enrolados um no outro que dura o resto da vida", começou por dizer a cantora que, logo de seguida, enumerou ações desta união.

"[…] É ter alguém a entrar pela casa de banho quando nós lá estamos porque está com pressa e tem de lavar os dentes, é olhar para as meias a meio do dia e ver que o calcanhar está de fora porque tiraste as meias 42, não as 36. É dividir o cobertor e a ultima bolacha de chocolate que nós queríamos mais que tudo. […] Viver a dois é um desafio constante porque o outro mora em nossa casa mas não na nossa cabeça. […] É aprender que ter razão não é a coisa mais importante do mundo e aprender que não se pode dormir zangado. Mesmo depois da discussão e do fim do mundo, há sempre um pé que encontra o outro no fundo da cama e que fica lá colado como quem diz 'sim, isto é fazer as pazes'",  exemplificou.

Para Carolina Deslandes, "viver a dois é passar pelas dificuldades e pelas crises sabendo sempre que nada de mau pode ser maior que a vontade de ficar".

"E muitas vezes o amor é só ficar. Sem dizer nada. Viver a dois é saber perdoar [….], é a maior aventura dos crescidos e eu ainda estou a perceber como é que me deixaram cá entrar...", rematou.

Leia na íntegra:

Criar uma família com alguém é muito diferente de namorar. (E atenção que namorar é maravilhoso!) É um compromisso diário, é um promessa de dedos mindinhos enrolados um no outro que dura o resto da vida.É estar com o outro mesmo quando não apetece, mesmo quando odiamos tudo e toda a gente, mesmo quando o outro está mal disposto e "estraga" o nosso bom humor. É ter alguém a entrar pela casa de banho quando nós lá estamos porque está com pressa e tem de lavar os dentes, é olhar para as meias a meio do dia e ver que o calcanhar está de fora porque tiraste as meias 42, não as 36. É dividir o cobertor e a ultima bolacha de chocolate que nós queríamos mais que tudo. É ver o velocidade furiosa 4 quando naquele dia só te apetecia ver o diário da nossa paixão.Viver a dois é um desafio constante porque o outro mora em nossa casa mas não na nossa cabeça. É muitas vezes ter de dizer que a toalha tem de se estender depois do banho,que o jantar tem de se comer quente e que também precisamos de atenção. É aprender que ter razão não é a coisa mais importante do mundo e aprender que não se pode dormir zangado. Mesmo depois da discussão e do fim do mundo, há sempre um pé que encontra o outro no fundo da cama e que fica lá colado como quem diz "sim, isto é fazer as pazes". Viver a dois é aprender que os filmes nos andaram aldrabar. Não nos vão dar flores todos os dias, nem levar a andar de balão nem fazer poemas. Mas há outras provas de amor, como ver o harry potter todos os domingos sem refilar, arrumar a louça toda para que eu não tenha de me mexer e dizer "vai dormir, eu trato de tudo." Há qualquer coisa de muito romântico no "eu trato de tudo". Viver a dois é passar pelas dificuldades e pelas crises sabendo sempre que nada de mau pode ser maior que a vontade de ficar. E muitas vezes o amor é só ficar. Sem dizer nada. Viver a dois é saber perdoar e é também aprender quem são o adrien, o william e o slimani. Viver a dois é respirar fundo e voltar para a sala com um sorriso depois de vermos que o tampo da casa de banho está levantado, mais uma vez (respira). Viver a dois é maior aventura dos crescidos e eu ainda estou a perceber como é que me deixaram cá entrar...

Uma foto publicada por Blossom (@carolinadeslandes) a Out 17, 2016 às 10:49 PDT

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS