Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2019
Tempo
15º
MIN 11º MÁX 19º

Edição

Fundação portuguesa na lista do Swissleaks

Uma fundação do Porto está na lista divulgada no âmbito do Swissleaks. Esta fundação tinha ligações a um ex-ministro e atual deputado.

Fundação portuguesa na lista do Swissleaks

A TVI tinha noticiado que existiam 137 clientes portugueses no banco suíço HSBC. Sabe-se agora que um deles é a Fundação Ilídio Pinho, sediada no Porto, e que tem ligações a um ex-ministro e atual deputado.

Ligado a esta fundação estaria o deputado social-democrata Couto dos Santos, segundo o que aparece no site, que o apresenta como membro do conselho de administração. A conta teria pouco mais de mil euros.

A Fundação Ilídio Pinho confirma ao Observador que “teve uma conta no HSBC na Suíça, que encerrou no ano de 2007, como consta no relatório de contas”.

Por sua vez, o ex-ministro Couto dos Santos disse, por sua vez, que já não faz parte da direção “há dois anos”, sendo apenas consultor para o projeto ‘Ciência na Escola’. Além disso, garante desconhecer qualquer informação relacionada com uma conta no HSBC.

A Fundação Ilídio Pinho foi criada em 2000 com o objetivo de apoiar a investigação científica e tecnológica. Ilídio Pinho foi também o último patrão de Pedro Passos Coelho, antes de este ser eleito primeiro-ministro em 2011. O presidente da fundação era à data presidente da Fomentinvest, a holding gerida por Ângelo Correia e que hoje é gerida por Couto dos Santos.

Sabe-se que, o banco HSBC terá ajudado vários clientes a fugir ao fisco e/ou a branquear capitais. Um caso que está agora sob investigação.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório