Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Portugal vai pagar 60 mil milhões em juros da dívida até 2020

Portugal vai pagar 60 mil milhões de euros em juros da dívida entre 2014 e 2020, dos quais mais de 1200 milhões de euros irão anualmente para os fundos europeus que contribuíram para o resgate, segundo estimativas de Bruxelas.

Portugal vai pagar 60 mil milhões em juros da dívida até 2020
Notícias ao Minuto

18:12 - 21/10/14 por Lusa

Economia Bruxelas

O PCP questionou Bruxelas sobre os "montantes que Portugal pagará de serviço de dívida entre 2014 e 2020 e sobre que parte desses montantes se destina, direta ou indiretamente, a instituições da União Europeia ou a fundos ou mecanismos com a sua participação".

Em resposta, a Comissão Europeia estimou que Portugal deverá pagar, no total, "em juros [de dívida] cerca de 60 mil milhões de euros durante o período 2014-2020", sendo que parte desse valor será destinado ao Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF) e ao Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira (MEEF).

A Comissão Europeia diz que, tendo em conta que no pacote de resgate Portugal recebeu 26 mil milhões do fundo e 23,9 mil milhões de euros do mecanismo, pagará "cerca de 520 milhões de euros pelos empréstimos do FEEF e 705 milhões de euros pelos empréstimos do MEEF por ano a contar da data do desembolso total".

Estes valores, diz a Comissão, têm por base juros estimados que rondam cerca 2% no FEEF e 2,9% no MEEF, mas que podem variar, pelo que "o valor exato do serviço da dívida europeia pode ser diferente no futuro". Bruxelas diz ainda que o MEEF emprestará a Portugal uma quantia adicional de 400 milhões de euros a pagar "no próximo outono".

O deputado comunista João Ferreira questionou a Comissão Europeia depois de o presidente do órgão executivo comunitário, Durão Barroso, ter afirmado em julho que os 26 mil milhões de euros que Portugal terá a receber do Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020 são "uma pipa de massa" e questionou o valor total previsto de transferências de Portugal para o orçamento da UE entre 2014 e 2020, o que Bruxelas disse que depende de variáveis, pelo que não é "possível indicar de antemão".

Sobre os mil milhões adicionais que Durão Barroso disse que Portugal conseguiu para os próximos sete anos, o PCP questionou sobre "que verbas adicionais" recebeu cada um dos demais Estados-membros", com a Comissão a informar que "Portugal beneficia da atribuição da quantia de mil milhões de euros no âmbito da rúbrica outras disposições especiais de afetação".

"Confirma-se também que os 'mil milhões adicionais' a que o presidente da Comissão Europeia se referiu não são um caso inédito. Outros países receberam verbas adicionais, nomeadamente: Grécia, Irlanda, Espanha, Chipre, Malta, Itália, França, Bélgica, Alemanha, Hungria, República Checa e Eslovénia", considera o PCP no comunicado aos jornalistas em que deu conta da resposta da Comissão Europeia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório