Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
25º
MIN 17º MÁX 27º

Edição

Rendimento real das famílias 'per capita' cresce 5,8% na OCDE

O rendimento familiar real 'per capita' cresceu 5,8% na OCDE no primeiro trimestre de 2021, o maior aumento desde 2008, devido em grande parte à subida "significativa" do rendimento real das famílias nos Estados Unido, afirmou hoje a OCDE.

Rendimento real das famílias 'per capita' cresce 5,8% na OCDE

Num comunicado hoje divulgado, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) -- que sublinha que o rendimento familiar real 'per capita' proporciona uma melhor imagem do bem-estar económico das pessoas do que o Produto Interno Bruto (PIB) -- refere que o aumento significativo do rendimento real dos agregados familiares nos Estados Unidos é um resultado direto do recente apoio orçamental do Governo norte-americano, incluindo pagamentos de transferências feitos às famílias.

"O aumento excecional dos rendimentos das famílias foi muito superior ao aumento de 0,5% do PIB 'per capita' registado na OCDE no primeiro trimestre de 2021", conclui a organização, adiantando que "o resultado deste trimestre mantém a divergência entre o PIB 'per capita' e o rendimento 'per capita' das famílias desde o início da pandemia da covid-19.

A partir do 4.º trimestre de 2019, o rendimento familiar real 'per capita' aumentou 8,2% na OCDE como um todo, enquanto o PIB real 'per capita' diminuiu 2,7%.

Os Estados Unidos registaram um crescimento significativo do rendimento real 'per capita' das famílias de 11,7% no primeiro trimestre de 2021 e este aumento reflete as duas transferências monetárias separadas e de ampla base para as famílias.

Embora o PIB real 'per capita' também tenha aumentado nos Estados Unidos (1,5%) durante o primeiro trimestre de 2021, a diferença entre os dois indicadores, juntamente com o grande pico na taxa de poupança pessoal dos Estados Unidos para o 1.º trimestre de 2021, demonstra que um grande montante do rendimento adicional foi utilizado para melhorar os balanços pessoais, em vez de ser gasto em consumo.

Os movimentos no rendimento familiar real 'per capita' também acompanharam os movimentos no PIB real 'per capita' entre as outras sete principais economias, mas em menor escala.

Assim, a OCDE afirma que foram registados aumentos do rendimento real das famílias no Canadá (1,5%) e Itália (1,0%), que também registaram ligeiros aumentos do PIB 'per capita', de 1,3% e 0,4% respetivamente.

Por outro lado, os declínios do rendimento real das famílias registados na Alemanha (menos 1,4%), no Reino Unido (menos 1,1%) e em França (menos 0,6%) foram associados a uma diminuição do PIB real 'per capita' de 2,0%, 1,7% e 0,1% respetivamente.

Noutros países da OCDE, o rendimento familiar real 'per capita' aumentou na Dinamarca (6,7%), Hungria (3,1%) e Polónia (2,9%).

Em contrapartida, registaram-se quedas maiores na Áustria (-11,6%), Chile (-8,7%), Bélgica (-2,2%) e República Checa (-1,7%).

Leia Também: Taxa de inflação homóloga na OCDE fixa-se nos 4,1% em junho

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório