Meteorologia

  • 31 OUTUBRO 2020
Tempo
20º
MIN 14º MÁX 24º

Edição

Ângelo Paupério substitui Brito Pereira como chairman da NOS

O administrador não executivo da NOS Ângelo Paupério foi hoje eleito presidente do Conselho de Administração da operadora de telecomunicações, substituindo Jorge Brito Pereira, que renunciou ao cargo na quinta-feira.

Ângelo Paupério substitui Brito Pereira como chairman da NOS
Notícias ao Minuto

17:13 - 27/01/20 por Lusa

Economia Luanda Leaks

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a NOS informa que, "em reunião do Conselho de Administração ocorrida hoje, foi eleito presidente do Conselho de Administração ['chairman'] da sociedade o senhor Eng.º Ângelo Gabriel Ribeirinho dos Santos Paupério".

Ângelo Paupério entrou na Sonae há cerca de 30 anos, passou pelas várias empresas do grupo - desde a distribuição às comunicações -, e em 2015 foi o escolhido por Belmiro de Azevedo para lhe suceder, com o seu filho Paulo Azevedo.

Durante três anos, a Sonae teve uma liderança bipartida, entre Paulo Azevedo e Ângelo Paupério, até os dois terem manifestado vontade de passar o testemunho das funções executivas, já depois da morte de Belmiro de Azevedo, em novembro de 2017.

A escolha recaiu então sobre Cláudia Azevedo, filha de Belmiro de Azevedo, que se mantém em funções.

Na quinta-feira, os três administradores não executivos da NOS ligados à empresária Isabel dos Santos, entre os quais o presidente do Conselho de Administração, Jorge Brito Pereira, apresentaram renúncia aos cargos, divulgou a operadora de telecomunicações.

Nesse dia, a NOS informou que Jorge Brito Pereira, Mário Filipe Moreira Leite da Silva e Paula Cristina Neves Oliveira tinham apresentado ao Conselho Fiscal "as respetivas renúncias aos cargos de membros não executivos do Conselho de Administração" da operadora.

A renúncia aos cargos aconteceu quatro dias depois de um consórcio de jornalistas ter divulgado o processo denominado 'Luanda Leaks', que revela alegados esquemas financeiros da empresária angolana Isabel dos Santos, filha do antigo chefe de Estado de Angola.

Os três administradores não executivos estavam a cumprir o mandato para o triénio 2019/2021.

Na sexta-feira, Brito Pereira anunciou a saída da sociedade de advogados Uria Menéndez Proença de Carvalho, a suspensão da atividade profissional como advogado e, como consequência, do "patrocínio jurídico" a Isabel dos Santos.

"Face às informações publicadas nos últimos dias a propósito dos designados 'Luanda Leaks', sem qualquer admissão de culpa, entendi que, ouvidos alguns dos meus sócios, para não prejudicar o bom nome e a reputação da Uria Menéndez Proença de Carvalho, devia renunciar à minha condição de sócio com efeitos imediatos", disse à Lusa, na altura, numa resposta por escrito.

O advogado adiantou que vai "aproveitar os meses que se seguem para, além de ponderar tudo o que ocorreu nas últimas semanas", finalizar a tese de doutoramento".

Mário Leite da Silva, que é gestor de Isabel dos Santos e considerado o seu 'braço direito', e Paula Oliveira, amiga da empresária, foram constituídos arguidos em Angola, no âmbito do processo 'Luanda Leaks', juntamente com a empresária e filha do ex-Presidente angolano.

Um consórcio de jornalismo de investigação revelou no dia 19 de janeiro mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de 'Luanda Leaks', depois de analisar, ao longo de vários meses, 356 gigabytes de dados relativos aos negócios de Isabel dos Santos entre 1980 e 2018, que ajudam a reconstruir o caminho que levou a filha do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos a tornar-se a mulher mais rica de África.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório