Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2020
Tempo
MIN 8º MÁX 20º

Edição

Primeiros novos metros para o Porto começam a chegar em 2021

A Metro do Porto espera receber em 2021 "os primeiros" dos 18 novos veículos comprados por 49,6 milhões de euros à empresa chinesa CRC Tangsthan, foi hoje divulgado na assinatura do contrato.

Primeiros novos metros para o Porto começam a chegar em 2021

As 18 novas composições vão permitir disponibilizar mais 60 mil lugares diários, tendo cada uma capacidade para 252 lugares, 64 dos quais sentados, e serão entregues entre 2021 e 2023, ao ritmo de uma por mês.

O presidente do Conselho de Administração da Metro do Porto, Tiago Braga, destacou o crescimento de 14% na procura registado em 2019, ano em que este meio de transporte ultrapassou os 71 milhões de validações.

"O Metro do Porto terminou 2019 alcançando 71 milhões de validações, mais 14% do que em 2018 e mais 11,5% do que estava previsto nos cenários base. O ano de 2019 foi também aquele em que as receitas operacionais cresceram 8,2%, o resultado operacional melhorou 42,5% e a taxa cobertura global ultrapassou, pela primeira vez na história da empresa, os 100%, atingindo dessa forma o equilíbrio total da operação", descreveu Tiago Braga.

O responsável agradeceu o "tributo" do Governo, dos autarcas e da Área Metropolitana do Porto, atribuindo ao PART -- Programa de Redução Tarifária o aumento de clientes no Metro do Porto.

O presidente da empresa considerou ainda ser um "dia verdadeiramente marcante" que, "passados quase 15 anos", a empresa volte "a investir na sua frota".

Em dezembro, a Metro do Porto revelou que a empresa chinesa tinha vencido o concurso para entregar 18 novas composições, por 49,6 milhões euros, financiados pelo Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente, menos 6,5 milhões do que o valor base do procedimento.

Tiago Braga revelou à Lusa em outubro que, para responder ao aumento verificado de seis milhões de passageiros, esperava "antecipar até ao fim de 2021" a contratação das composições, inicialmente previstas para as novas linhas do metro, que devem estar prontas em 2022/23.

Tiago Braga explicou que o aumento da procura, sendo "forte desde o início de 2019", se tornou "mais expressivo ainda desde abril, quando arrancou o PART [Programa de Apoio à Redução Tarifária]", o designado passe único, que fez descer o valor dos bilhetes mensais dos transportes públicos.

O concurso foi lançado com a perspetiva de servir as novas linhas Rosa, no Porto, entre S. Bento e a Casa da Música, e o prolongamento da linha Amarela, entre Santo Ovídio e Vila d'Este, em Vila Nova de Gaia.

As obras de construção das novas linhas, que ainda não começaram, vão decorrer até 2023.

Estas novas linhas vão acrescentar seis quilómetros e sete estações à rede, representando um investimento global na ordem dos 300 milhões de euros.

Atualmente, a frota da Metro do Porto é constituída por 102 veículos: 72 do tipo Eurotram e 30 do tipo Tram-train. Com o investimento em 18 veículos CRRC, a frota do Metro do Porto passará a contar com 120 unidades.

Fundada em 1881, a CRRC Tangshan Co é uma empresa chinesa com larga tradição na produção de comboios, comboios de alta velocidade e veículos de metro. É o maior fabricante mundial de material circulante ferroviário, com sede em Pequim e empregando mais de 180 mil trabalhadores

O Metro do Porto opera em sete concelhos com uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório