Meteorologia

  • 24 MAIO 2022
Tempo
19º
MIN 14º MÁX 20º

Empresários apontam "bolha de ativos" como maior risco

Os empresários portugueses que colaboraram num relatório hoje divulgado pelo Fórum Económico Mundial, pela gestora de risco Marsh e pela seguradora Zurich, consideraram a "bolha de ativos" o principal risco ao desenvolvimento dos negócios nos próximos dez anos.

Empresários apontam "bolha de ativos" como maior risco
Notícias ao Minuto

10:00 - 25/11/19 por Lusa

Economia Empresários

O relatório "Riscos Regionais dos Negócios 2019", que contou com a participação de cerca de 13.000 empresários em mais de 130 países, identifica, para Portugal, mais quatro riscos para a próxima década.

Para além da "bolha de ativos", o principal risco identificado, os empresários portugueses que responderam ao inquérito consideraram o segundo maior risco a "falha de mecanismo financeiro ou institucional".

Em terceiro lugar, para Portugal, surge a "falha de 'governance' [governança] nacional", seguindo-se empatados em quarto os "ataques cibernéticos" e as "crises fiscais".

Relativamente a 2018, nos cinco maiores riscos identificados pelos empresários portugueses inquiridos, aparecem dois novos ("ciberataques" e "crises fiscais"), desaparecendo os "fenómenos climáticos extremos" e o "choque dos preços de energia".

Comparativamente ao ano anterior, a "bolha de ativos" subiu de terceiro lugar para primeiro no topo de preocupações, ao passo que em 2018 a "falha de mecanismo financeiro ou institucional" era o maior risco identificado pelos empresários portugueses, seguindo-se a "falha de governance [governança]", que estava no segundo lugar.

A nível mundial, a maior preocupação são as "crises fiscais", seguidas pelos "ciberataques", em segundo lugar, pelo "desemprego ou subemprego" em terceiro e pelo "choque dos preços de energia" em quarto.

De acordo com a Marsh e a Zurich, "estes riscos estão fortemente ligados a perturbações sociais e contribuem para a classificação de 'falha de 'governance' nacional' em quinto lugar e para a 'profunda instabilidade social' em sexto".

O documento destaca ainda que "os ciberataques são o principal risco na Europa e na América do Norte, pelo segundo ano consecutivo, evidenciando o aumento da sofisticação e proliferação deste tipo de ataque".

Na Europa, em segundo lugar como principais riscos está a "bolha de ativos", em terceiro o "conflito entre Estados", em quarto o "choque dos preços de energia" e em quinto as "crises fiscais".

Na região do Sudeste Asiático e Ásia-Pacífico entre as principais preocupações estão os riscos ambientais, ao passo que as questões sociais estão na cúpula das preocupações na Eurásia e América Latina e Caribe.

No Médio Oriente e no Norte de África a maior preocupação é o "choque dos preços de energia", devido à "contínua volatilidade nos preços e na produção", segundo a Zurich e a Marsh.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório